À espera de uma reunião, presidente do Santa Cruz teme o cancelamento da Terceirona Gaúcha

Um dia antes da Federação Gaúcha de Futebol (FGF) anunciar a suspensão de todos os campeonato que ainda não tinham começado, o Santa Cruz havia assinado a carteira de trabalho de 18 jogadores profissionais e demais membros da comissão técnica. A revelação é do presidente Tiago Rech ao peleiafc.com. Inclusive, o time dos Plátanos chegou a pagar uma folha inteira aos atletas, que fica na casa de R$ 30 mil.


O dirigente foi o convidado especial do especial do "Peleia FC Entrevista" na página do site no Facebook. Entre os temas abordados esteve a Terceirona Gaúcha. O Galo Carijó estava na sua pré-temporada quando teve de interromper os trabalhos devido a pandemia de covid-19.


Conforme Rech, os clubes da Terceirona Gaúcha enviaram um documento à FGF solicitando auxílio, assim como a CBF, ambos sem respostas. O mandatário também espera por uma videoconferência com o presidente Luciano Hocsman para debater o futuro do campeonato, mas admite temer o cancelamento da competição.


"Temo sim e acredito que existe essa possibilidade. Conversando com outros dirigentes eu vejo a preocupação se for um campeonato sem publico. Qual é a razão de fazer futebol no interior sem o torcedor? Não vejo sentido jogar de portões fechados. Tem essa preocupação de que caso não possamos fazer jogos com torcida, se os clubes vão querer jogar. Aí não sei qual será a decisão da Federação. Fazer uma competição com poucos clubes ? Vamos ver o que vai se encaminhar', contou ao jornalista Tiago Nunes.


Todos os atletas e demais funcionários do Santa Cruz foram inscritos na MP 936 do governo federal. A iniciativa possibilita aos clubes a suspensão dos contratos por dois meses. Neste período, o governo paga os salários e depois o clube retoma os vínculos.


Foto: Divulgação/Facebook/Santa Cruz