Árbitro relata em súmula caso de injúria racial no Bento Freitas

A partida entre Brasil de Pelotas e Brusque pela Série B do Brasileirão foi marcada por um caso de injúria racial. O jogo terminou com vitória dos visitantes por 2 a 0 no estádio Bento Freitas, em Pelotas.


O árbitro Jonathan Antero Silva, de Rondônia, informou em súmula que durante a partida "a equipe de arbitragem foi informada pelos atletas do Brusque, Sandro Silva de Souza e Edilson José da Silva Júnior que foram ofendidos por injúria racial por um torcedor da equipe do GE Brasil", declara o documento oficial do jogo.


Ainda segundo Jonathan, o torcedor foi identificado pela Brigada Militar e encaminhado para o plantão policial após o jogo. Além da espera criminal, o caso deverá ter desdobramentos no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).


Recentemente, o STJD puniu o Brusque e o presidente do seu Conselho Deliberativo, Júlio Antônio Petermann, por discriminação racial contra o atleta Celsinho, do Londrina.


A pena para o clube foi uma multa de R$ 60 mil e a perda de três pontos na classificação da Série B do Campeonato Brasileiro, enquanto o dirigente foi suspenso por 360 dias e multado em R$ 30 mil. Cabe recurso à decisão.


Após a partida entre Brusque e Londrina, pela 21ª rodada da Série B e que aconteceu no dia 28 de agosto, o árbitro registrou em súmula as palavras ouvidas pelo meia Celsinho nos minutos finais do primeiro tempo: “Vai cortar esse cabelo seu cachopa de abelha”. E Júlio Antônio Petermann foi identificado como o infrator.


Com informações Peleia FC e Agência Brasil