A paixão que reconstruiu o Guri Teimoso após 15 anos


Tem um guri arteiro disposto a incomodar novamente os clubes do interior do Rio Grande do Sul. Campeão Gaúcho de 1939 e três vezes vice-campeão do estado, o Riograndense voltou ao cenário futebolístico.


Conhecido como Guri Teimoso, o clube tem as suas cores o vermelho e o amarelo. O trabalho de reconstrução foi árduo, mas movido por um combustível interminável, a paixão do seu torcedor.


Em recente participação no "Peleia FC Entrevista", no facebook do portal, o presidente do clube Paulo André contou um pouco deste trabalho de recomeço. Tudo começou em um grupo de whatsapp. Aos poucos os torcedores da velha guarda começaram a voltar.


O primeiro objetivo foi reformar o estádio Torquato Pontes, casa tradicional do guri. No passado, o espaço reunia até 15 mil torcedores. Entretanto, a realidade encontrada na primeira visita ao estádio não foi nada boa.


"Infelizmente a gente não encontrou um estádio. Encontramos escombros. As arquibancadas estavam de pé. O estádio foi projetado em 1985 foi inaugurado. Embaixo do pavilhão tinha tudo, mas quando nós pegamos era de doer. As pessoas não tinham mais o que roubar, azulejos, marcos das portas. As pessoas quebraram as paredes para roubar tijolos", declarou Paulo André.


O presidente conta que a capacidade da casa do Riograndense caiu para 10 mil pessoas. Diversas melhorias foram realizadas. Quem vai o local hoje encontra um novo espaço. Todas as reformas foram custeadas com ajuda dos sócios e torcedores.


"No pavilhão reformamos vestiários (mandante, visitantes e arbitragem), banheiro da torcida, oito portões novos, bilheteria e vestiário para arbitragem feminina. Estamos também finalizando o vestiário para a base. Iniciamos a escolinha com 80 alunos, mas tivemos que parar devido a pandemia. Fizemos uma academia, temos sala de massagista. Falta pouca coisa para o estádio estar até melhor do que era. Estamos fazendo isso com venda de produtos, sócios. A gente faz produtos e a torcida esgota tudo".


O torcedor do Riograndense terá uma grande novidade neste ano. Segundo revelou o mandatário ao peleiafc.com, o clube ganhará uma sede no centro da cidade. Um torcedor doou uma casa 100% reformada. Será uma sede, escritório central para os sócios. "É fantástica a torcida do Riograndense", resumiu o dirigente.


Na parte financeira, o Riograndense está com a saúde de um guri. Apesar do tempo fechado, o time não possuiu dividas vultosas como outras equipes do interior. A direção trabalha para solucionar apenas três pendencias, mas com o aluguel de uma antena de telefonia, o clube pretende quitar tudo e ainda terá uma renda mensal.


"O clube tem uma vantagem enorme, não temos dívidas. Para não dizer temos 3 questões trabalhistas, mas temos uma renda de aluguel de uma antena de telefonia. O valor ia direto para uma conta judicial para pagar essas pendências. O nosso advogado entrou com pedido de quitação. Temos mais que o dobro do dinheiro depositados para pagar. O dinheiro que sobrar vem para o clube e a renda mensal vem para o clube depois", contou o presidente ao jornalista Peleia FC.


Imagem: Reprodução/Peleia FC