Analista de mercado, o diferencial do Juventude no Brasileirão 2021

Para o Brasileirão Série A, o Juventude criou o departamento de análise de mercado. O responsável pelo setor é Mariel Mees. O profissional fica focado diariamente nas possibilidades de mercado. O trabalho começou em fevereiro deste ano após o retorno do clube à elite nacional.


O departamento atua em várias frentes como no mapeamento dos atletas. Mess assiste em média de 3 a 4 jogos por dia. Também é feito o controle de minutagem de todas as Séries do Brasileirão e o clube possui o controle de contratos de jogadores no Brasil. Ainda é feito o relatório de atletas emprestados, como explicou o profissional em recente entrevista a TV Papo By Bitcom.


"A gente gera um relatório para a diretoria com desempenho e valor de mercado. Fazemos também o monitoramento de jogadores que o clube ainda tem alguma porcentagem a receber em transferências", explicou o analista.


Uma das grandes dificuldades no mercado é quanto a busca por jogadores do setor ofensivo. Segundo o analista do verdão, os clubes necessitam de muitos atletas para uma função, como atacante de lado do campo.


"Hoje todo o clube necessita ter seis atletas. Você tem dois titulares, possivelmente entram dois no decorrer da partida e aí vem lesão, suspensão. Então, imagina todo o elenco tem que ter seis atletas", declarou.


Hoje, o Juventude conta com um banco de dados de atletas dentro do país e também do mercado Sulamericano. Aliás, o departamento de análise também foi peça importante na contratação do centroavante Nico Castillo, do América do México.


"O pessoal vai se assustar com o número. Hoje são mais de 3 mil jogadores catalogados pelo clube. Temos o controle dos atletas dos jogos das Série A, B, C e D. A gente coloca uma categorização nesses jogadores por nível Série A, B, C, D e descarte", explicou. 


Imagem: TV Papo/Reprodução