Atlético Carazinho se manifesta sobre suspeita de manipulação na Copa FGF

Após denúncias na Terceirona Gaúcha, a Copa FGF também foi manchada por suspeitas de manipulação de resultados. Depois de relatos feitos pelo Elite quanto ao assédio a jogadores do clube, nesta semana o Grupo RBS trouxe novas suspeitas no futebol do interior.


Matéria do jornalista Rafael Divério, de GZH, cita a partida entre Atlético de Carazinho e Brasil de Farroupilha, onde um jogador do time do norte gaúcho fez um gol contra. Ele ainda cometeu um pênalti. As ações ocorreram em um intervalo de 10 minutos. Na ocasião, o Brasil venceu por 5 a 0 o duelo disputado no dia 15 de setembro, no Estádio Paulo Coutinho, em Carazinho.


O zagueiro que teria feito o gol contra e cometido o pênalti ficou em campo na hora do intervalo. Conforme a reportagem, e, segundo testemunhas, o atleta teria sido impedido pelos companheiros de time de entrar no vestiário. As suspeitas aumentaram após a divulgação das imagens dos dois lances. Em entrevista à GZH, o defensor justificou o gol contra dizendo que tentou tirar a bola para escanteio.


"Achei que tinha gente atrás de mim. Aí é f... também. Se é time grande, ninguém vê. Se é time pequeno, é manipulação de jogo. Não entendo vocês", declarou o atleta, que também justificou o pênalti:

"Eu estava indeciso no que fazia. Subi com os braços abertos. É normal. Foi sem querer", finalizou o atleta, afirmando que foi para o "sacrifício" no jogo, pois tinha uma lesão no músculo posterior da coxa.


ATLÉTICO EMITE NOTA


Nas redes sociais, o Atlético Carazinho se manifestou sobre a suspeita. O clube repudiou qualquer tipo de atitude que não respeite as cores do clube e as regras do desporto. No complemento da nota, assinada por Eduardo Silva, diretor de esportes, a instituição afirma não aceitar qualquer tipo de jogo que não seja limpo. Confira a nota na íntegra:


"O Clube Atlético Carazinho vem por meio desta, em respeito a toda sua torcida, comunidade de Carazinho e amantes do futebol, REPUDIAR qualquer tipo de atitude que não respeite nossas cores, nossa Instituição e as regras mínimas do desporto.


Lamentamos o ocorrido e gostaríamos de salientar que passamos sim por dificuldades como todo clube do interior, sem verbas e praticamente apenas com recursos da comunidade. Nosso projeto é manter vivo o espírito forte e brigador, que no passado, tantas glórias deu a nossa gente.


Nem sempre conseguiremos vencer, é do esporte, mas em nenhum momento aceitaremos qualquer tipo de jogo que não seja limpo. Seguiremos trabalhando para que no futuro o Atlético de Carazinho e consequentemente, nossa comunidade e o sonho de muitos jovens, siga sendo vivido. Estabelecemos parcerias com núcleos formadores de atletas, em Soledade e Passo Fundo por exemplo, para formação e desenvolvimento de atletas a partir dos 6 anos de idade. Este trabalho não para por aqui.


Reiteramos nosso compromisso como clube histórico do interior do estado de zelar pela competitividade e respeito para com todos.


Eduardo Silva - Diretor de Esportes do Clube Atlético Carazinho"


Imagem: Reprodução/Instagram