Bagé perde dois mandos de campo na Divisão de Acesso

O Bagé perdeu dois mandos de campo para a retomada da Divisão de Acesso. O motivo foi a confusão após o jogo no estádio da Pedra Moura contra o São Paulo. A partida em questão foi realizada no dia 8 de março.


Na ocasião, o árbitro Eduardo Fernandes Bastos, da cidade de Pelotas, colocou em súmula uma situação envolvendo torcedores do Bagé.


Conforme Bastos após os 90 minutos, os profissionais escalados para trabalhar no jogo estava prestes a deixar o estádio quando foram informados que a Brigada Milita já havia deixado o local, pois tinha terminado o turno da equipe.


"Nesse momento, o diretor Darlan Berneira do G.E. Bagé, disse que iria até o carro conosco, que estava nos arredores do estádio Pedra Moura, quando chegamos no carro cerca de 20 torcedores identificados com a camisa do Bagé, foram em direção ao carro, e começaram a gritar nos xingando e nos ofendendo", declarou em súmula o árbitro.


Segundo o documento oficial da partida, os profissionais do apito tentaram entrar no carro e os torcedores começaram a cuspir e jogar cerveja. Logo na sequência começaram as agressões.


O dirigente do Bagé ainda tentou afastar os torcedores, mas não conseguiu. O árbitro disse que foi a delegacia da cidade para fazer um Boletim de Ocorrência (BO). As fotos e o registro policial foram anexados na súmula.


Mais de 3 meses após os incidentes, o caso foi a julgamento no Tribunal de Justiça Desportiva da FGF. Por unanimidade, o clube foi condenado pelo TJD e perda de campo de dois jogos e multa de R$ 100. O clube poderia perder até 10 mandos.


Na época, a direção do também também emitiu uma nota de repúdio as agressões ao árbitro. O clube afirmou ter sido surpreendido com ataques e confirmou que os torcedores tinham sido identificados e proibidos de ingressar no estádio por tempo indeterminado.


Foto: Peleia FC/Tiago Nunes