Ca-Ju é marcado por caso de racismo e torcedor é retirado do estádio


Minutos antes da bola rolar no clássico Ca-Ju, uma cena chamou atenção do que acompanhava dentro do estádio. Os presidentes de Juventude e Caxias entraram em campo e atravessaram o gramado em direção a goleira do lado esquerdo das cabines de imprensa.


Junto dos dirigentes, o jogador Erick, do Caxias, apontava para arquibancada onde estavam os torcedores do Juventude. Com apoio da brigada militar, um torcedor foi retirado da arquibancada e o pior se confirmou. Mais um caso de injúria racial no futebol gaúcho.


Após o clássico terminar em 0 a 0, o presidente do Caxias concedeu entrevista coletiva nas dependências do Estádio Alfredo Jaconi. Conforme Paulo César Santos, o torcedor fez gestos de macaco e usou a mesma palavra contra o atleta.


"Ele simulando a situação de macaco e chamando verbalmente. Como o aquecimento era muito próximo a torcida, e eu ressaltei antes esse ponto de limitar tanto a torcida do Caxias com essa proximidade", falou dirigente.


Um boletim de ocorrência foi registrado no intervalo da partida e o caso será investigado pela polícia civil. Conforme o dirigente, por uma decisão do atleta, o torcedor não recebeu voz de prisão, apenas foi detido no momento.


"Numa ação nobre do nosso atleta Erik, que vale ressaltar a sua grandeza como pessoa, ele prontamente entendeu a situação do jovem, e colocou que sua família sempre o ensinou a dar uma segunda chance. Esse jovem (torcedor) tem muito que aprender, e aí foi registrado (B.O.), mas não foi dada voz de prisão", comentou Paulo César.

O Caxias emitiu uma nota oficial repudiando o ato de cunho racista praticado por um torcedor do Juventude ao zagueiro Erik, no aquecimento do time.


"O torcedor foi identificado pelo atleta, e retirado do estádio no mesmo momento, com o apoio do Presidente da S.E.R. Caxias Paulo Cesar dos Santos, do Presidente do E.C. Juventude Walter Dal Zotto Jr. e do staff do clube grená. O Caxias também informa que o zagueiro Erik registrou boletim de ocorrência no intervalo da partida. Vale ressaltar a atitude e postura extremamente íntegra do Erik, desde a identificação do agressor até o registro da ocorrência. Lamentamos a ocorrência desses fatos e ressaltamos que estamos juntos ao Erik manifestando nosso apoio", diz a nota do Caxias.


O Juventude não se manifestou sobre o caso dentro do seu estádio.