Caxias acerta redução salarial com atletas, comissão técnica e funcionários

A pandemia afetou em cheio a economia mundial e no futebol não poderia ser diferente. Sem jogos, não há visibilidade e nem arrecadação de bilheteria. Contudo, os contratos com os jogadores permanecem em vigor e os vencimentos devem ser pagos ao final de cada mês.


Tendo em vista esta situação, o Caxias tomou uma medida para reduzir o impacto financeiro. Conforme informação da Rádio Caxias, a direção chegou a um acordo e reduziu parte dos salários do grupo de jogadores, funcionários e comissão técnica.


O valor economizado com o corte na folha não foi informado. O presidente grená, Paulo César Santos, garante que todos envolvidos foram a favor da iniciativa.


"Já fizemos cortes no quadro de funcionários. Já entramos com o programa do governo de redução de salários. Também acertamos a redução salarial com a comissão técnica e grupo de jogadores com muita clareza e transparência. Todos tiveram o consenso e estão com o pensamento de união. Entenderam a dificuldade do momento", relatou o dirigente à emissora da serra gaúcha.


Em nota publicada no site do clube, o técnico Rafael Lacerda também se manifestou sobre a iniciativa da direção. Segundo o treinador, todos aceitaram, pois, sabem da crise mundial que o coronavírus está causando e o momento é de compreensão para juntos superarem esta dificuldade.


“A direção propôs a redução de salários e aceitamos porque sabemos de toda a crise mundial e entendemos o momento. A gente tem muita confiança na diretoria que sempre cumpriu com suas obrigações de forma correta. É o momento de nos unirmos para superarmos tudo isso juntos”, comentou o técnico Rafael Lacerda.


No último encontro pela internet com os demais clubes da Série A do Gauchão, o presidente do Grená sugeriu duas sedes para finalizar o campeonato. Seria uma na região da serra e outra na capital. Segundo publicação da Rádio Caxias, Santos declarou que com a concordância dos demais presidentes, Pelotas e Brasil ficariam em Porto Alegre. Já São Luiz e Ypiranga iriam para a serra.


"As delegações antes de saírem das suas cidades fariam os exames e estando todos aptos se deslocariam para cá. Em uma semana se resolveria o segundo turno", declarou o mandatário.


Paralelo a questão financeira, a direção do Caxias aguarda pela definição do decreto do governador Eduardo Leite. O documento será publicado neste sábado às 16h. Pode haver alguma sinalização para a liberação dos treinamentos das equipes de futebol.


Foto: Vitor Soccol/Dinâmica Conteúdo