CBF anuncia criação do Centro de Excelência da Arbitragem Brasileira (CEAB)

A CBF realizou o Conselho Técnico do Brasileirão Assaí 2021. O compromisso contou com a condução do Presidente Rogério Caboclo, diretamente da sede da entidade, no Rio de Janeiro, e a participação dos 20 clubes da Série A por videoconferência. Entre as novidades anunciadas, está a criação do Centro de Excelência da Arbitragem Brasileira (CEAB), com ambientes para desenvolvimento de novos projetos e treinamento e a sala do árbitro de vídeo (VAR) centralizado.


Durante a apresentação do projeto do CEAB, aprovado por unanimidade, assim como a continuidade do VAR no Brasileirão Assaí 2021, Caboclo já revelou detalhes da estrutura aos presidentes dos clubes. O Centro de Excelência da Arbitragem Brasileira será instalado em um prédio próximo à sede da CBF, também na Barra da Tijuca.


– A CBF está planejando uma central única do VAR, com alta tecnologia e tudo o que podemos contar de melhor em termos de estrutura. Nosso objetivo é centralizar as decisões da arbitragem com maior qualidade e menor chance de erro. É um escritório primoroso inspirado na central que existe hoje da NBA [Liga de Basquete dos Estados Unidos], nas questões técnicas da arbitragem – destacou Rogério.


Mais respeito e tecnologia


Para o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Leonardo Gaciba, o CEAB será um marco na história do futebol brasileiro e ajudará os integrantes das equipes de arbitragem a alcançarem um maior controle do jogo dentro e fora de campo. No Brasileirão Assaí 2021, segundo ele, a rigidez com eventuais reclamações acintosas de jogadores, comissão técnica e dirigentes será ainda maior.


– A arbitragem na CBF deixou de ser custo. Virou investimento. Isso é respeito com todos os profissionais. Nós estamos realizando um sonho antigo da arbitragem brasileira. Teremos uma sede própria, um centro de desenvolvimento e excelência, com o VAR centralizado. Esse é um passo muito importante para o nível que buscamos, com um trabalho contínuo e investimento sério da CBF e dos clubes – concluiu Gaciba.


Foto: Joilson Marcone/CBFTV