Clubes de futebol só poderão treinar em regiões com bandeira amarela

Passadas três semanas do anúncio de que o Rio Grande do Sul migraria para uma nova política de enfrentamento ao coronavírus e de consultas à sociedade e às entidades representativas, o governo apresentou, no sábado (9/5), o chamado Distanciamento Controlado. O Decreto nº 55.240, que estabelece o modelo, foi publicado neste domingo (10/5) e passa a valer oficialmente a partir da 0h de segunda-feira (11/5) em todo o território gaúcho. Baseado na segmentação regional e setorial, o Distanciamento Controlado prevê quatro níveis de restrições, representados por bandeiras nas cores amarela, laranja, vermelha e preta, que irão variar conforme a propagação da doença e a capacidade do sistema de saúde em cada uma das 20 regiões pré-determinadas. Segundo o governo do estado, o monitoramento será diário, mas a atualização da bandeira ocorrerá semanalmente, divulgada sempre aos sábados, valendo para a semana seguinte. No âmbito do futebol, o governador Eduardo Leite contou que as equipes só poderão treinar em regiões com bandeira amarela. Hoje, a única equipe do Gauchão em bandeira amarela é o São Luiz de Ijuí. As demais equipes estão no nível laranja, que proíbe os treinos em clubes esportivos, conforme Eduardo Leite.


>>> COMO O RISCO É CALCULADO Cada região será avaliada por meio de 11 indicadores em dois grandes grupos com pesos iguais na definição final: • propagação (velocidade do avanço, estágio da evolução e incidência de novos casos sobre a população); • capacidade de atendimento (capacidade de atendimento e mudança da capacidade de atendimento). >>> BANDEIRAS

AMARELA – risco médio/baixo. A região encontra-se com alta capacidade do sistema de saúde e baixa propagação da doença. LARANJA – risco médio. Significa que a região está com um dos dois cenários: média capacidade do sistema de saúde e baixa propagação do vírus ou alta capacidade do sistema de saúde e média propagação do vírus. VERMELHA – risco alto. A região encontra-se em um dos dois cenários: baixa capacidade do sistema de saúde e média propagação do vírus ou média/alta capacidade do sistema de saúde, porém alta propagação do vírus. PRETA – risco altíssimo. Região encontra-se com baixa capacidade do sistema de saúde e alta propagação do vírus. >>> REGIÕES Foram definidas 20 regiões, a partir da junção de algumas das 30 Regionais de Saúde (R01, R02, R03 etc.), de tal modo que existam hospitais de referência para leitos de UTI dentro de cada uma das novas regiões. Os agrupamentos levam o nome da respectiva cidade mais populosa: 1. Santa Maria (R01 e R02) 2. Uruguaiana (R03) 3. Capão da Canoa (R04 e R05) 4. Taquara (R06) 5. Novo Hamburgo (R07) 6. Canoas (R08) 7. Porto Alegre (R09 e R10) 8. Santo Ângelo (R11) 9. Cruz Alta (R12) 10. Ijuí (R13) 11. Santa Rosa (R14) 12. Palmeira das Missões (R15 e R20) 13. Erechim (R16) 14. Passo Fundo (R17, R18 e R19) 15. Pelotas (R21) 16. Bagé (R22) 17. Caxias do Sul (R23, R24, R25 e R26) 18. Cachoeira do Sul (R27) 19. Santa Cruz do Sul (R28) 20. Lajeado (R29 e R30)