Dirigente do Brasil bate na mesa contra o racismo: "As pessoas não aprendem. É inadmissível"

O jogo entre Brasil de Pelotas e Atlético Cearense foi marcado por um suposto caso de injúria racial pela Série C do Campeonato Brasileiro. Na ocasião, nesta manhã de domingo, o Xavante venceu pelo placar de 4 a 1 no Estádio Bento Freitas. O árbitro da partida, Rafael Carlos Salgueiro Lima, de Alagoas, relatou que foi procurado pelo atleta José Carlos Gomes Pereira, do Atlético, na volta do intervalo.


Segundo o Lima, o jogo demorou seis minutos para começar o segundo tempo devido a um suposto gesto racista feito por um torcedor do Brasil para o jogador visitante. No documento oficial do jogo, o árbitro relata que após a Brigada Militar identificar o torcedor, o jogo recomeçou. O torcedor teria imitado um macaco. Segundo a súmula, a pessoa foi levada para delegacia.


Confira aqui o relato da súmula


Depois do jogo, em entrevista coletiva, o vice de futebol do Brasil de Pelotas fez um discurso forte contra o racismo. Arthur Lannes chegou a bater na mesa ao declarar ser inadmissível que isso volta a acontecer na casa Xavante. Ele também lamentou quem descredita o atleta que sofreu a ofensa.


"Queria ter só motivos para comemorar, mas não conseguimos. É algo que nos maltrata. Estreamos na Série C com jogo de portão fechado por causa de um caso de racismo. É inadmissível que aconteça ainda. Talvez estivéssemos com dois pontos a mais se tivéssemos ganho lá. Parece que as pessoas não aprendem. Clube tem que sofrer e se incomodar com isso em um domingo, que era para ser um domingo alegre. É inadmissível que isso volte a ocorrer. É inadmissível que se descredite alguém que sofre. É inadmissível vaiar o atleta. A gente vem para o estádio para torcer e não para agredir os outros. Eu estou de saco cheio. Todo mundo está. Espero que sábado a gente venha para torcer e não tenha que lidar de novo com essas situações", declarou o vice de futebol do Brasil.


OUÇA AQUI O DISCURSO DO DIRIGENTE: