top of page

Ex-jogador do Juventude é banido e outros dois são suspensos por manipulação

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) realizou o julgamento de oito atletas por manipulação de jogos no futebol brasileirão na tarde de quinta-feira. A denúncia veio após a Operação Penalidade Máxima, do Ministério Público de Goiás, que identificou uma um grupo criminosos que aliciava jogadores para cometerem pênaltis e levar cartões amarelos nos jogos do Brasileirão Série B e estaduais.


Três ex-jogadores do Juventude foram julgados e condenados. O volante Gabriel Tota, que estava no Ypiranga emprestado, foi banido do futebol. Ele ainda levou uma multa de 30 mil reais. O atleta teve o contrato rescindido com o Juventude.


Outros dois atletas com passagem pelo Alfredo Jaconi também foram punidos. O zagueiro Paulo Miranda foi suspenso por mil dias e levou uma multa de 70 mil. O lateral Moraes também pegou um gancho de dois anos e multa de 55 mil pela manipulação de jogos.


RESULTADO STJD


> Moraes (Aparecidense-GO): 760 dias e R$ 55 mil;

> Gabriel Tota (sem clube): banimento e R$ 30 mil;

> Paulo Miranda (sem clube): 1.000 dias e R$ 70 mil;

> Eduardo Bauermann (Santos): 12 jogos;

> Igor Cariús (Sport): absolvido;

> Fernando Neto (São Bernardo): 380 dias e R$ 15 mil;

> Matheus Gomes (sem clube): banimento e R$ 10 mil;

> Kevin Lomónaco (Bragantino): 380 dias e R$ 25 mil.


Foto: Fernando Alves/E.C Juventude

bottom of page