Ex-jogador, Vagson aposta em nova fase como técnico

Com o futebol brasileiro recebendo técnicos estrangeiros, os clubes passaram a exigir cada vez mais dos profissionais, e ficou provado que o estudo permanente e a busca por novos conhecimentos tem sido o melhor caminho para o reposicionamento no mercado. Se por um lado os estrangeiros chegam, por outro lado, técnicos brasileiros recém formados no curso da CBF Academy buscam espaço nas principais divisões do país.


Um desses exemplos é o ex-zagueiro Vagson Ribeiro, que como jogador atuou ao lado de nomes como Kaká e Denílson na base do São Paulo, e ainda acumulou passagens por Grêmio, Corinthians e futebol asiático. Aos 41 anos, o gaúcho de Pelotas que já tem no currículo, como auxiliar técnico, a conquista do Campeonato Gaúcho do interior Sub-20 com o Brasil de Pelotas, entendeu que a busca por conhecimento é a única maneira de furar a bolha e se apresentar como uma boa opção para o mercado nacional.


“Não tem outro caminho. Precisamos buscar conhecimento e nos colocar em condições de fazer um grande trabalho quando a oportunidade aparecer. Eu já vivenciei tudo dentro de campo, agora estou me aperfeiçoando e me especializando fora dele. Eu concluí a Licença B da CBF, estou cursando Gestão de Clube empresa, já que a SAF é uma realidade no Brasil. Tenho formação em categorias de base, entre outros cursos que estou fazendo e aqueles que pretendo cursar. Tudo isso me coloca em condição de entregar resultado”, disse o treinador, que fez questão de lembrar das suas referências quando era atleta profissional:


“Eu tenho grandes referências como treinador, e busco me inspirar neles para realizar o meu trabalho. O Telê Santana além de ter sido um mestre taticamente, fora de campo era um paizão. Trabalhei com o Vanderlei Luxemburgo no Corinthians, era um técnico enérgico cobrava muito do nosso grupo que tinha o Marcelinho Carioca, Ricardinho e Luizão além de outros. Hoje o Vanderlei é um amigo. No Grêmio tive a oportunidade de trabalhar com o Cléber Xavier que é auxiliar do Tite na seleção brasileira, então busco trazer todo esse ensinamento que tive como jogador para o trabalho como treinador”, disse Vagson Ribeiro.


Foto: Arquivo Pessoal