Fábrica de empregos: Divisão de Acesso movimenta mais de R$ 5 milhões na economia gaúcha

Desde o início da paralisação do futebol, o site peleiafc.com vem realizando reportagens especiais sobre o impacto da pandemia nos campeonatos do Rio Grande do Sul. Somando as três divisões (Gauchão, Acesso e Terceirona) são mais de 3 mil pessoas empregadas direta e indiretamente. Hoje, esses profissionais estão parados. Alguns procuraram outros empregos para conseguir sobreviver.


Pegando a Série A2 como exemplo, campeonato com 16 clubes, os números impressionam quando o assunto é monetário. São injetados na economia gaúcha quase R$ 6 milhões por ano. Vários fatores contribuem para esse montante.


Levantamento realizado pelo site, aponta um gasto médio de 60 mil por mês com folha de pagamento de atletas e comissão técnica. Alguns clubes gastam mais e chegam a R$ 80 mil. Outros investem menos, cerca de R$ 40 mil.


A Federação também tem uma contribuição importante nesta parcela injetada. A entidade destinará aos clubes, até o fim do campeonato, um "voucher" de R$ 120 mil. O valor é o dobro do acordado no início da competição. Devido aos impactos da pandemia houve um aumento. Além disso, a FGF banca a arbitragem dos jogos para os clubes.


Confira outros dados:


> FOLHA DE PAGAMENTO

Média por clube: R$ 60 mil

São injetados por mês na economia: 960 mil em salários

Total pago em salários: R$ 3,84 milhões


> AJUDA DA FGF

Ajuda de custos aos clubes: R$ 120 mil por equipe

Total investido no ano: R$ 1,92 milhão para os 16 clubes


> ARBITRAGEM

FGF custeia um valor médio de R$ 220 mil em todo campeonato


> TOTAL INJETADO EM TODO O CAMPEONATO NA ECONOMIA:

R$ 5,98 Milhões


Vale ressaltar que este pode ser o valor mínimo, pois não contabilizamos o montante envolvendo os gastos dos torcedores, como pagamento de mensalidades, venda de produtos, ingressos e despesas administrativas e de infraestrutura realizadas pelos clubes.