FGF Conecta recebe Abel Braga

O FGF Conecta realizou mais um evento presencial na sexta-feira (15) na sede da Federação Gaúcha de Futebol - FGF. O convidado desta edição foi Abel Braga, multicampeão como treinador e que recentemente anunciou que se dedicará à função de coordenador dentro do futebol. O auditório ficou lotado para cerca de duas horas de conversa sobre categorias de base, histórias da sua carreira e interação com o público, que pôde fazer perguntas na parte final do encontro.


O evento foi apresentado pelo doutor em ciências do desporto e mestre em ciência do movimento humano, professor José Cicero Moraes, e foi mediado pela jornalista Christiane Matos e pelo jornalista Luiz Carlos Reche.


- É uma alegria muito grande voltar aqui na Federação, um lugar que se tornou a minha casa, estou na Calçada da Fama - destacou Abel, durante a abertura, após ser recebido no auditório sob aplausos.


Os aplausos voltaram ao fim do encontro, quando Abel recebeu um presente do presidente da FGF, Luciano Hocsman, antes de se despedir.


COM A PALAVRA, ABEL


Um dos assuntos mais abordados por Abel Braga foi categorias de base. Ele argumentou quais os principais pontos para se criar um ambiente agradável para os jovens atletas. Abel destacou a necessidade da criação de um laço, uma relação humana com o jogador. E que o atleta também precisa mostrar interesse em conhecer a história do clube que está dando a oportunidade.


- Vocês têm que colocar na cabeça, quem trabalha na base, que hoje o pessoal das categorias de base é a maior fonte de renda de qualquer clube, não tem como ser diferente - acrescenta.


O agora ex-treinador fez diversas referências à sua principal conquista, o Mundial de Clubes pelo Internacional em 2006, depois de bater o Barcelona no Japão. Elogios aos jogadores da época, que contribuíram para a estratégia vencedora diante do favorito time espanhol.


- Para você conquistar o jogador, você não pode mentir nem fazer promessas. Eu nunca menti para jogador. Sempre com verdade, mesmo que doa.


Abel também lembrou os anos que antecederam o título, em que foi vice-campeão da Copa do Brasil em duas edições seguidas.


- Meu filho dizia que, na escola, me chamavam de "vice". Mas eu ganhei dois Cariocas e fui finalista duas vezes da Copa do Brasil. Não poderia ser ruim. Eu disse para ele: "Meu filho, teu pai vai chegar". Aí, veio 2006 e o resto é história - contou Abel. - O bom não é o cara que ganha, é o cara que não desiste.


Abel Braga começou no futebol como zagueiro nos anos 1970, defendendo grandes clubes como Vasco, Fluminense, Botafogo, Cruzeiro e o Paris Saint-Germain, da França. Como treinador, comandou dezenas de clubes. Seus maiores títulos, além do já Mundial de Clubes, foram a Libertadores de 2006, também pelo Internacional, e o Brasileirão de 2012, pelo Fluminense.


Com oito eventos realizados desde outubro de 2021, o FGF Conecta tem o intuito de compartilhar conhecimento e conectar clubes, dirigentes, torcedores e público em geral e também capacitar os profissionais que atuam nos clubes gaúchos, visando ao aperfeiçoamento dos processos através da troca de experiências.


Foto: Max Peixoto / FGF

Fonte: Lucas Rizzati, Angelo Pieretti e Silvia Macedo/FGF