Fotos: Riograndense realiza obras no estádio para depois pensar em futebol


O Riograndense, de Santa Maria, até ensaiou um retorno ao futebol no final de 2018. Contudo, apesar do clube ter decidido voltar aos gramados e disputar a Terceirona Gaúcha 2019, a direção teve que recuar. O motivo é que a mobilização dos dirigentes não resultou em recursos para acelerar as obras no estádio dos Eucaliptos. O clube tem que realizar uma série de melhorias em sua casa para atender as exigências da lei.


O site peleiafc.com esteve no estádio dos Eucaliptos no último dia 1º de maio. A situação encontrada não é animadora para os torcedores, mas também, não é um cenário de abandono total. As obras estão em fase de execução, mas em ritmo lento devido a falta de recursos. Assim, o periquito trabalha com doações da comunidade e de torcedores. Outro problema que o esmeraldino tentar achar uma solução para as dívidas trabalhistas do passado.


EM OBRAS


A principal situação é quando a arquibancada do lado direito das cabines de imprensa, onde ficava a torcida organizada "Ferroviários 78". O espaço está sendo demolido, pois é preciso aumentar a distância do gramado para o alambrado, exigência da legislação. É possível observar na galeria de imagens da publicação os entulhos que ficaram de parte da destruição.


Os vestiários também já receberam melhorias como azulejos novos. A antiga copa, ao lado do pavilhão principal, recebeu novas divisórias de concreto separando dos banheiros.


O gramado não chega a estar em uma situação péssima, pois recebe cortes periodicamente, mas em alguns pontos apresenta irregularidade e plantas daninhas. O campo deverá ser deslocado mais de 2 metros a direita das cabines para ocupar parte do espaço da arquibancada destruída.


O cercamento do campo também será refeito, pois é necessário ter 3 metros de altura de tela para separar a torcida do gramado. Além disso, as arquibancadas precisam de uma limpeza geral, pois há entulhos e plantas crescendo.


FUTEBOL 2020

O clube não tem um cronograma fixo de obras, já que depende de doações. A direção tenta concluir tudo ainda este ano de 2019 para depois pensar em futebol. O que se ouve dos dirigentes é que sem estádio liberado não tem como fazer futebol. No primeiro ano de retorno, a visão é montar um time "0800", de baixo custo e com apoio de empresários. Há dois, o Riograndense está com departamento de futebol fechado. Em 2017, o periquito foi punido com a suspensão de duas temporadas de afastamento de competições da FGF por ter desistido da Terceirona em meio a competição.


Fotos: Tiago Nunes/Peleia FC