Goleiro do Grêmio denuncia caso de racismo no Bento Freitas; Clube e Federação se manifestam

O goleiro Adriel, do Grêmio, denunciou um caso de racismo durante a partida contra o Brasil de Pelotas, no estádio Bento Freitas, pela segunda rodada do Campeonato Gaúcho 2022. O atleta usou as redes sociais para falar sobre o caso. Ele ouviu a frase "ei negão, vira servente de pedreiro". O atleta também postou um vídeo, no qual aparece um torcedor imitando um macaco.


"Fala, pessoal. Desde já, quero que vocês saibam que nunca me posicionei para falar sobre racismo ou qualquer outro tipo de preconceito, mas hoje ouvi muitas ofensas da torcida adversária. Tanto eu, como meus companheiros, e ofensas racistas: 'ei negão, vira servente de pedreiro'. Triste isso. Mas, mais triste ainda é saber que isso vai acontecer de novo, não só aqui, mas no mundo tudo. Está virando palhaçada isso, não basta só protestar, tem de ter medidas drásticas", escreveu o atleta na rede social.


A Federação Gaúcha de Futebol publicou uma nota repudiando o caso. A FGF afirma que vai acompanhar o andamento da questão junto às autoridades.


"Diante do relato do atleta do Grêmio Adriel, de que teria sofrido atos de injúria racial ocorridos na partida entre Brasil-Pel x Grêmio, neste sábado (29), no Estádio Bento Freitas, pela 2ª rodada do Campeonato Gaúcho, a Federação Gaúcha de Futebol - FGF reitera seu compromisso no combate e prevenção contra todo e qualquer preconceito que venha a ocorrer no ambiente do futebol gaúcho e informa que acompanhará o andamento da questão pelas autoridades responsáveis e competentes. Em parceria com Ministério Público, Polícia Civil e OAB/RS, a FGF lançou, em 2020, a campanha 'Juntos – Contra a Violência e o Preconceito', com o objetivo justamente de combater hostilidades dessa natureza nos campos de futebol do Rio Grande do Sul. A Federação repudia qualquer ato de discriminação e reitera que recusa o racismo em todas as suas formas de manifestação", declarou a FGF.


O Brasil de Pelotas emitiu uma nota no final da noite de sábado sobre o ocorrido. "Ciente e orgulhoso de suas origens, o Brasil considera abjeto qualquer ato de discriminação. Ofensas de teor racial agridem a dignidade humana no geral e a nossa história em particular. O clube reconhece de antemão a boa-fé das denúncias feitas por vítimas e se coloca à disposição para auxiliar as autoridades na identificação dos responsáveis", declarou o clube.


Foto: Rodrigo Fatturi / Grêmio/Divulgação