GRENAL resultou em nove ocorrências, inclusive com foguete disparado contra helicóptero da polícia

O Juizado do Torcedor e Grandes Eventos (JGTE) recebeu nove ocorrências por contravenções penais, tumulto, desobediência, drogas e desacato, durante o Grenal deste domingo, 3/11, na Arena do Grêmio, em partida pelo Campeonato Brasileiro.


O plantão do Judiciário na Arena foi coordenado Juiz de Direito Marco Aurélio Martins Xavier.

Em uma das ocorrências, 22 torcedores do Internacional, que vinham em um dos ônibus escoltados pela polícia, colocaram-se para fora das janelas, provocando torcedores rivais e desacatando as ordens policiais. O grupo aceitou a transação penal e terá que prestar serviços à comunidade. Outro torcedor, que teria debochado da polícia e instigado os outros torcedores a jogarem paus e pedras contra a guarnição, também foi detido. O Ministério Público pediu vista dos autos para fins de diligência. Há possibilidade de oferecimento da proposta de transação penal.


Também foi acusado de tumulto torcedores do Internacional que jogava pedras nos carros terá que prestar serviço à comunidade por dois meses, em jornada de seis horas semanais no Hospital de Pronto Socorro, em Porto Alegre. Outro suspeito tinha três lança-rojões e pedras dentro de uma mochila. Ele foi proibido de frequentar estádio de futebol onde o Grêmio atuar até o fim do Brasileirão e terá que se apresentar na delegacia em dias de jogos.


Outras duas ocorrências envolveram explosivos. Em uma delas, o homem tinha cinco foguetes em uma mochila e foi proibido de ir aos jogos do Grêmio até o fim do Campeonato Brasileiro, também tendo que se apresentar na delegacia em dias de jogos. Já um torcedor que estava dentro do ônibus do Inter, ateou um foguete em direção ao helicóptero da Brigada Militar. Por ser reincidente, não foi oferecida transação penal e ele responderá a processo por contravenção penal.


Uma torcedora responderá por desobediência. O namorado dela foi retirado do ônibus que levava torcedores do Inter por estar "surfando" em cima do veículo. Ao ver a cena, ela foi orientada a permanecer dentro do ônibus, mas desobedeceu a ordem e avançou contra o policial. Ela terá que prestar serviços à comunidade por um mês. Outra torcedora também teria desacatado policiais ao descumprir uma ordem durante a condução até o estádio. Ela xingou o batalhão e, como resistiu à prisão, foi algemada. A acusada foi proibida de ir aos jogos do Internacional até o fim de novembro.

Posse de drogas gerou outra ocorrência em que o envolvido, portando maconha, terá que se apresentar na delegacia durante o horário da partida, nos próximos dois jogos em que o Grêmio tiver o mando de campo.


Foto: Seplag / Divulgação