Guarani identifica torcedor que teria praticado injúria racial em jogo da Série A2

Na manhã desta quarta-feira, 11, foi divulgada a decisão do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) referente ao pedido do recurso do efeito suspensivo.


De acordo com o relator Jorge Laureano Pereira, sobre o processo nº 045/2022, o Guarani terá que cumprir a condenação que foi imposta pela Terceira Comissão Disciplinar, referente à perda de dois mandos de campo. Já sobre a multa, foi deferido o efeito suspensivo. Assim sendo, vai a julgamento do Pleno que vai definir sobre a aplicabilidade da multa ou não.


O presidente do Guarani, Lúcio Rabuske, lamenta a decisão sobre a perda do mando de campo, mas também fica aliviado por agora não precisar pagar a multa de R$ 10 mil. “Menos mal que conseguimos prorrogar o prazo de pagamento da multa, porque essa situação hoje, seria inviável, já que o clube passa por dificuldades financeiras e é graças às campanhas que conseguimos manter o clube em dia”, salienta.


Torcedor localizado


Na tarde de terça-feira, a diretoria do Guarani localizou o torcedor que teria proferido palavras racistas contra o jogador de São Paulo. De acordo com a direção, o jovem de 21 anos se apresentou no Estádio Edmundo Feix e foi acompanhado por integrantes do clube até a delegacia.


O torcedor não é morador de Venâncio Aires e estava assistindo o jogo de forma eventual. Ele relatou no registro realizado na Polícia Civil que próximo do final da partida, teria tido uma breve discussão com um dos atletas do São Paulo de Rio Grande, e que outro atleta teria o ofendido com palavras de baixo teor.


O torcedor afirma que não usou nenhuma palavra citada na nota e matéria escrita pela comunicação do São Paulo e ainda salientou que o jogador do São Paulo arremessou uma garrafinha de água contra ele.


Foto: Willian de Oliveira - EC Guarani