Guarany justifica ausência na Copinha e afirma ter pago mais de 60 mil em dívidas

O Guarany de Bagé tinha interesse em jogar a Copa Ibsen Pinheiro. Contudo, após o congresso técnico veio a informação que o clube retirou a intenção e não entrará em campo neste final de temporada.


Em nota, o clube explicou os motivos para não jogar o torneio da Federação Gaúcha de Futebol, que contará com apenas 11 clubes. Conforme a direção, a razão se deu pela "ausência de recursos financeiros a serem destinados à essa competição, priorizando assim a disputa da Divisão de Acesso do próximo ano, cujo objetivo é recolocar o Guarany no cenário da elite do futebol gaúcho", revela.


A direção afirma que conseguiu quitar e negociar os compromissos com os atletas que compuseram o elenco deste ano, concluindo 2020 sem pendências financeiras com atletas. Inclusive, mais de 66 mil reais fora destinados para o pagamento de dívidas até este mês de outubro.


"Além disso, visando a reorganização administrativa, no mês de fevereiro, o Departamento Jurídico do Clube, junto ao Tribunal Regional do Trabalho, propôs uma série de acordos trabalhistas que vem sendo cumpridos rigorosamente em dia. Para se ter uma noção, o clube já pagou, somente neste ano, mais de R$ 66 mil reais em dívidas trabalhistas e a expectativa é que se conclua 2020 com mais de R$ 75 mil reais pagos nesses acordos realizados", declara o Guarany.


Por fim, a direção do Guarany de Bagé enfatiza ter responsabilidade na condução administrativa do clube. Por isso, a decisão de não jogar a Copa Ibsen Pinheiro.

Mesmo o time não estando em campo, o clube permanece ativo, conforme os dirigentes.


"Continue colaborando com a sua mensalidade, com a compra de camisetas, calções, jaquetas e demais produtos do clube", finaliza a nota.