Jogadores lesionados enfrentam ainda mais dificuldades em meio a pandemia

Sem futebol, os profissionais que trabalham no meio da bola são os que mais sofrem. Com a paralisação, muitos treinam em casa para não perder a forma física. Contudo, não é igual de estar no clube realizando as atividades com a orientação de um profissional capacitado. Já para aqueles atletas que estão se recuperando de lesão a situação é ainda mais complicada. É o caso do volante Tássio, do São Luiz, de Ijuí. Ele está em fase final de recuperação de um estiramento de grau 2 no ligamento do tornozelo. Ele se lesionou no jogo contra o Caxias, no dia 9 de março, no estádio 19 de Outubro, pelo segundo turno do Gauchão.

O atleta revelou estar treinando por conta. Entretanto, não consegue fazer o tratamento em casa e disse realizar as atividades no estádio 19 de Outubro, em Ijuí. Todos os cuidados de higiene e distanciamento também estão sendo observados.

“Eu e mais dois estamos treinando por conta mesmo. O responsável pelo campo está lá e abre o vestiário para fazermos os trabalhos na academia e no campo. Estamos usando as instalações do clube, já que em casa não tenho condições de fazer os trabalhos. E como só são eu e mais 2, procuramos manter a distância permitida e não ter contato. Além de estar sempre passando álcool em gel quando terminamos o exercício em cada aparelho da academia para o outro utilizar”, detalhou ao peleiafc.com.


O jogador está 90% recuperado da lesão. Tássio tem contrato com o São Luiz até o final da Série D do Brasileirão. O volante foi autor de um gol contra o Internacional no Estádio 19 de Outubro. Na pré temporada marcou outros dois gols no torneio preparatório. Foi eleito o melhor jogador do campeonato preparatório e também em duelo contra o Juventude, em Ijuí, mesmo com a derrota por 3 a 1, pelo Gauchão.


Foto: Lucas Dornelles/ E.C. São Luiz/Assessoria