Novelletto aponta mudança drástica no Gauchão em 2020 e sugere fórmula

O presidente da Federação Gaúcha de Futebol (FGF), Francisco Novelletto tomou posse como um dos vice-presidentes da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). O mandatário gaúcho está no seu último mandato frente a federação, ele não pode mais se reeleger.


Nesta sexta-feira, Novelletto concedeu uma entrevista ao Jornal Zero Hora, de Porto Alegre. Na conversa com o jornalista Leonardo Oliveira, na coluna Bola Dividida, Novelletto falou sobre os planos da CBF quanto aos estaduais. Nos últimos meses ganhou força nos bastidores que os estaduais estavam com os dias contados devido ao desinteresse da televisão.


Conforme revelou o dirigente gaúcho, haverá uma nova redução de datas nos estaduais, deixando os torneios mais curtos. Contudo, Novelletto foi enfático ao dizer que "eles (dirigentes da CBF) não vão acabar com os estaduais. Nem a CBF, nem a Rede Globo querem isso", esclareceu o novo vice-presidente. Novelletto disse que a TV quer mais emoção nos estaduais para vender mais pacotes de transmissão via Pay per view.


Uma mudança de fórmula no Gauchão será inevitável, já que o atual contrato tem uma cláusula que os direitos de transmissão podem não ser renovados a partir do final de 2019.


IDEIA DO NOVELLETTO


Durante a entrevista, o presidente da FGF levantou uma ideia de fórmula. Vamos os principais pontos dela:


>>> Grêmio, Inter e Brasil de Pelotas entrariam na competição no dia 10 de fevereiro, por estarem disputando o Brasileirão das Séries A e B. A iniciativa visa ampliar o período de pré-temporada dos clubes.


>>> Os outros 9 clubes formariam dois ou três grupos. Essa primeira fase começaria em 3 de janeiro e se estenderia até 10 de fevereiro, classificando cinco times. O campeão da primeira fase ganharia vaga na Copa do Brasil e o vice ficaria com a Série D.


>>> Os cinco classificados, mais a dupla Gre-Nal e o Brasil de Pelotas formariam dois grupos com 4 clubes. Um grupo enfrentaria o outro em turno e returno. Os dois melhores de cada grupo iriam para as semi-finais e os vencedores disputariam a final.


>>> O estadual teria 12 datas e não 17 como atualmente.


Com essas mudanças, a dupla Gre-Nal, mais o Xavante ganhariam 40 dias de pré-temporada e assim não precisariam utilizar times reservas no começo do Gauchão, fato que hoje traz um certo desinteresse tanto dos torcedores, quanto de quem transmite. Na entrevista à ZH, Novelletto finalizou dizendo que essa é a ideia inicial, mas que precisa ser levada aos clubes para discussão no Congresso Técnico da Série A.

Foto: FGF/Divulgação/Arquivo/Site