Presidente do Caxias não seguirá e critica postura no jogo do acesso: "faltou atitude de vencedor"

Até os 87 minutos de jogo, o Caxias estava com acesso na mão diante do América, em Natal. Contudo, dois gols na reta final de partida colocou o time potiguar na Série C do Brasileirão. O grená nunca esteve tão perto do sonho de subir de divisão. Após a derrota por 3 a 1, de virada, o presidente do clube concedeu entrevista coletiva na Arena das Dunas.


Paulo Cesar Santos confirmou que não seguirá no comando grená para o ano de 2023. Um dos motivos é a questão legal envolvendo o Profut, que não permite mais uma reeleição. Outro é o motivo pessoal de estar mais perto da família. O mandatário também comentou a eliminação e disse não ter explicação a virada para o América. Por fim, ainda criticou a postura de alguns jogadores em campo. Confira:


NÃO FICA PARA 2023:


— Sobre a continuidade do presidente Paulo Cesar Santos, ela não vai existir. Não tem a mínima condição disso. Vamos, por respeito a todos, porque o presidente não faz nada sozinho no Caxias e sim com o grupo gestor. Vamos continuar ajudando, mas não como presidente e acredito que a minha família merece mais atenção — declarou o presidente do Caxias, Paulo Cesar Santos.


ADMITE ERROS:


— Não tem como ser diferente, foram algumas contratações. Quando você fecha o plantel e faz algumas contratações, você limita novas contratações para o restante do ano. Elas têm que vir para o Gauchão, temos que avaliar muito bem o perfil que desejamos ter de elenco. Mas o elenco tem que ser contratado para o Campeonato Gaúcho e ajustado para a Série D, que é outra competição — avaliou o mandatário


POSTURA DE ALGUNS ATLETAS:


— As imagens e o resultado demonstram isso. Não estou condenando ninguém, mas tem jogador que sente mais de 30 mil pessoas, jogo decisivo. Estávamos com o resultado na mão e dois gols de vantagem. Tínhamos que ter mais gana, atitude e acreditar. Tínhamos tudo, fizemos tudo certo, vocês viram no hotel. Só faltou ter a atitude de vencedor, infelizmente alguns não conseguiram segurar o emocional — Paulo Cesar Santos.


Foto: Vitor Soccol/Caxias