Presidente do Guarany nega ter dito frase colocada em súmula por árbitro

O árbitro Marcus Vinicius Goncalves dos Santos colocou em súmula frases fortes de incentivo a violência no jogo entre Brasil de Farroupilha e Guarany de Bagé no estádio das Castanheiras.


A partida foi realizada no último final de semana e foi vencida pelo Brasil pelo placar de 1 a 0. O resultado do jogo ainda não foi homologado pela FGF, pois aguarda decisão do TJD. O Guarany entrou com pedido de anulação da partida, por erro de direito e interferência externa. O caso será julgado pelo plenário do tribunal no dia 4 de novembro.


Na súmula, o árbitro relata que aos 37 minutos do segundo tempo, o presidente do Guarany de Bagé, Tato Moreira, saiu do vestiário reclamando da arbitragem com dedo em riste.


"Tu é um safado, ladrão, sem vergonha, Filho da P#$@. É por isso que vocês tem que apanhar mesmo, igual o Rodrigo apanhou. Está metendo a mão no Guarany, seus ladrões", relatou o árbitro.


Em contato com o site peleiafc.com, o presidente do Guarany de Bagé negou com veemência que tenha dito a frase citada na súmula. Rodrigo é o árbitro agredido pelo jogador William Ribeiro na partida entre Guarani-VA e São Paulo. Questionado se a frase foi proferida por ele, Tato foi enfático.


"Óbvio que não falei. Alguém que estava ao meu lado pode ter falado isso. Eu não me envolvo com arbitragem. O Guarany é referência em bem receber a arbitragem. Tenho uma boa relação com alguns árbitros. Nosso vestiário é o mais bem organizado, sempre tem água, café, isso e aquilo. Eles são sempre presenteados com uma camiseta", declarou Tato Moreira.


O árbitro também colocou em súmula que já no vestiário ouviu a seguinte frase de outra pessoa: "Nos roubaram, esses filhos da p#@%. Por isso que eles apanham mesmo, É por isso que o Willian (Ribeiro) é meu ídolo", afirmou o árbitro.


No documento do jogo, Marcus dos Santos não conseguiu identificar o autor desta última ofensa, mas que estava com abrigo do time visitante. O presidente do Guarany lamentou o episódio e disse que não sabe quem proferiu a frase. Tato disse que o autor teve uma ação descabida e não concorda com a atitude.