Presidente do Inter SM não acha justo redução de cota da TV para clubes que subirem

As cotas de televisionamento do Gauchão 2021 serão divididas de forma diferente. Na temporada seguinte, o estadual terá duas equipes a mais, pois não haverá rebaixamento na edição deste ano do Campeonato Gaúcho Série A.


Com 14 equipes, a partilha da verba da televisão será reajustada. Os dois últimos do regional vão receber 50% no campeonato seguinte. Quem finalizar o estadual até a 10º colocação ficará com cota cheia. Já os dois finalistas da Divisão de Acesso 2020 terão direito a 75% do montante em 2021.


Essa divisão não agradou os clubes da Série A2. Os dirigentes querem cota cheia. Durante entrevista à Rádio Imembuí, na sexta-feira, o presidente do Inter de Santa Maria disse não ser justa essa distribuição para quem sobe. Ao programa Arena Esportivo, Jauri Daros também se mostrou indiferente quanto a possibilidade da Série A2 não ter rebaixamento.


"Pra mim não interfere muito no nosso planejamento (ter ou não rebaixamento). Eu não vejo dificuldade, contudo seria mais justo, já que não vai ter rebaixamento no Gauchão. Então, não deveria ter rebaixamento no Acesso. Eu não estou concordando é de quem subir para a Série A não ter a cota integral dos outros clubes. Espero que o presidente Hocsman consiga achar uma solução para que os times do Acesso consigam as cotas normais. Acho que isso não é justo. Aguardamos muitos anos para subir e já de cara receber uma cota de 75% não seria justo", opinou o mandatário do Inter SM


O Inter SM vai aceitar se tiver rebaixamento ou não no complemento da Divisão de Acesso, segundo Daros. O campeonato está previsto para recomeçar no mês de agosto. O único ponto de discordância é quanto a repartição menor da cota de TV para quem subir.