Procurador diz que futebol não é essencial e recomenda paralisação à CBF

O agravamento da pandemia em todo o país fará o Ministério Público agir quanto à realização de jogos de futebol. As competições organizadas pela CBF e suas Federações estão ocorrendo, com exceção no Paraná e Santa Catarina. Nesses dois últimos estados, as entidades responsáveis suspenderam os campeonatos.


O MP anunciou que irá recomendar à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a suspensão de todos os jogos no Brasil. O documento será assinado pelo presidente da Comissão Nacional. Em entrevista ao Globo Esporte, o procurador Valberto Lira antecipou que se a CBF não acatar a recomendação, serão ajuizadas ações em todos os estados.


"Todos os colegas que integram a comissão entendem que, se não houver o acatamento desta recomendação, serão ajuizadas ações em todos os Estados. Vivemos uma situação que preocupa a todos e esses deslocamentos de equipes de um Estado para outro trará mais possibilidade de contágio', comentou Lira.


Segundo o procurador do estado da Paraíba, o futebol não é uma atividade essencial. Até o momento, a CBF não se manifestou sobre o tema.


Recentemente, o técnico Lisca, do América Mineiro, fez um apelo. O treinador criticou também a CBF por marcar o começo da Copa do Brasil já na próxima semana com deslocamento de 80 times viajando o país inteiro.


"Eu faço um apelo à CBF para dar um tempo nessa Copa do Brasil. Para que a gente adie um pouco esses jogos, né? Nós vamos jogar só no dia 18, talvez até lá. Mas tem jogos já agora na próxima quarta-feira. E eu tenho certeza que meus colegas também estão preocupados. Eu sou pai de família, tenho duas filhas e uma esposa. Eu quero viver, gente", reclamou Lisca.


Foto: Lucas Figueiredo/CBF/Divulgação