Qualquer decisão tomada na base da caneta vai se acabar judicializando, pontua dirigente

Com decreto do governo do estado proibindo treinos nas regiões com bandeira laranja, ficou mais difícil o retorno das atividades dos clubes no futebol do Rio Grande do Sul. As novas regras começam a valer na segunda-feira. As equipes só podem treinar na bandeira amarela.


Na última sexta-feira, o presidente do Ypiranga de Erechim concedeu entrevista à Rádio Gaúcha, de Porto Alegre. Adilson Stankiewicz conversou com Diori Vasconcellos no programa Show dos Esportes. O mandatário afirmou ser um momento de muita ansiedade e angústia para todos, já que as equipes estão paradas por quase dois meses.


"Estamos entrando num momento bastante grave onde os recursos começaram a ficar escassos. Na expectativa de retornar o campeonato gaúcho, nem que seja de portões fechados. O clube está totalmente parado hoje", declarou à emissora da capital. O presidente do canarinho contou que os clubes do interior têm realidades distintas. O momento do Ypiranga é muito semelhante ao São José, Juventude e Brasil com calendário nacional. O time de Erechim jogará ainda neste ano a Série C do Brasileirão e os contratos do elenco foram feitos até o dia 10 de outubro quando seria a fase final da Série C.


"Estamos com todos os atletas sob contrato. São 30 atletas e com muitas dificuldades para pagar a folha. Para nós, o ideal seria que começasse o campeonato o quanto antes", frisou Stankiewicz. Ainda segundo o presidente da equipe do norte do estado, na última reunião com a FGF, os clubes debateram todas as ideias possíveis. Uma das sugestões foi de conclusão do estadual em três sedes: Porto Alegre, Caxias do Sul e Pelotas. "Acredito que isso todos os clubes aceitam", resumiu.


Ele se mostrou contrário a dar o campeonato por encerrado na caneta. Inclusive, pontuou pode ocorrer até a judicialização de algumas questões. "Penso que dar o campeonato por encerrado seria terrível. Alguns pensam em tornar o Caxias campeão. Em nenhuma parte do regulamento diz algo. Como ficam as vagas da Copa do Brasil ou Série D? Qualquer decisão tomada na base da caneta vai se acabar judicializando. Aqui quero louvar como o presidente Luciano está trabalhando com tranquilidade e ouvindo todos. Acredito que no mês de junho podemos retornar ao futebol de portões fechados, claro, observando todo o cenário externo", finalizou à Rádio Gaúcha.