Rio Grande quer indenização milionária em ação contra a Ponte Preta

O Rio Grande decidiu entrar na justiça contra a Ponte Preta para que o clube paulista pare de se auto-intitular "o clubes mais antigo em atividade no Brasil". O posto é oficialmente do Rio Grande. O vovô foi fundado no dia 19 de julho de 1900 e a Ponte no dia 11 de agosto do mesmo ano.


Inclusive, o Rio Grande é reconhecido pela CBF como o clube de futebol mais antigo do Brasil em atividade. Existem documentos do tempo da CBD que comprovam este fato. Além disso, o dia do futebol nacional é em alusão ao aniversário do time gaúcho, 19 de julho.


No último domingo, o peleiafc.com conversou ao vivo com o presidente do Rio Grande. Marco Coutinho revelou que o clube vai entrar com dois pedidos imediatos contra a macaca. Primeiro que a Ponte pare de usar o slogan de mais antigo do Brasil em atividade. Por fim, o vovô vai pedir uma indenização, na casa dos milhões, por todos esses anos de danos.


"Nós somos o mais antigo em atividade no Brasil. Em uma só ação vamos pedir que a Ponte tire o slogan do seu estádio, site e ônibus. Em segundo um indenização por tudo que a Ponte Preta arrecadou em todo o tempo que ela se diz mais antiga, como um torneio nos Estados Unidos por ser considerada a mais antiga. O Rio Grande grande se sentiu lesado e estamos pedindo essa reparação. Quantos patrocínios será ela não conseguiu por se dizer a mais antiga ? O que a Ponte Preta está fazendo é Fake News. Ela está passando uma informação errônea", declarou o dirigente ao jornalista Tiago Nunes.


O presidente esclareceu também o porque o clube não entrou na justiça antes. Segundo ele, a questão foi financeira, pois não tinham como arcar com os custos do processo. O valor da indenização a ser pedida ainda está em estudo, mas será na casa dos milhões.


"Isso o advogado está levantando os números, mas pelo que ele passou não está muito longe dos 50 milhões. Foi um ponto de referência. Primeiro o Rio Grande está procurando o seu reconhecimento", comentou.


Confira a entrevista na íntegra e sobre o caso envolvendo a Ponte a partir dos 17 minutos.