São Gabriel é absolvido de acusação de injúria racial

No dia 22 de maio, São Gabriel venceu o Guarani de Venâncio Aires pelo placar de 2 a 0 pela Divisão de Acesso. A partida foi marcada por um caso de injúria racial. O árbitro Solano de Oliveira relatou em súmula, que após o fim do jogo, um atleta do Guarani, Lucas da Silva, teria sido vítima de insultos de cunho racistas enquanto se dirigia para o vestiário. O próprio atleta acionou a arbitragem após o ocorrido. Ele afirma ter sido chamado de "macaco".


Na época, o São Gabriel emitiu uma nota sobre ocorrido. O clube afirmou ser livre de preconceitos e repudiou fortemente qualquer atitude discriminatória.


Na quarta-feira, dia 15, o Tribunal de Justiça Desportiva julgou o caso. O São Gabriel foi denunciado no artigo 243-G, que fala "Praticar ato discriminatório, desdenhoso ou ultrajante, relacionado a preconceito em razão de origem étnica, raça, sexo, cor, idade, condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência".


O torcedor que teria praticado a ofensa não foi identificado e o clube acabou absolvido da acusação no TJD.


"São Gabriel comunica que, em julgamento realizado na tarde de hoje, foi absolvido das acusações de injúria racial, em partida válida pela série A2, contra a equipe do E.C Guarani. Ressaltamos mais uma vez, que o clube repudia todo e qualquer ato discriminatório, seja ele de cunho social, racial, de gênero, etc", declarou o clube em nota após o julgamento.


Foto: FGF TV/Reprodução