Sem o estádio liberado, Riograndense deve desistir do projeto da Terceirona Gaúcha

O Riograndense tem o prazo até o final deste mês de outubro para finalizar as obras no estádio dos Eucaliptos. O clube busca adequar a sua estrutura a legislação vigente. Contudo, sem recursos, as obras andam em ritmo muito lento.


Na última semana, os dirigentes vistoriam a situação do estádio. Acompanhados do ex-patrono do clube, Evandro Zamberlan fez uma Raio X das melhorias em andamento. Zamberlan é empresário da construção civil e conhece bem os prazos para obras. Em entrevista à Rádio Imembuí, ele opinou ser "praticamente impossível" terminar tudo neste mês. Ainda sugeriu ao clube "esquecer a terceirona para focar nas obras".


O presidente do Riograndense, Gilberto Pires, também falou após a manifestação do ex-patrono esmeraldino. Em entrevista a repórter Angélica Varaschini, o mandatário do periquito não descartou abandonar o projeto da Terceirona Gaúcha de 2020.


"Está se tornando muito difícil de concluir a reforma, as adequações do nosso estádio. Não podemos jogar o clube novamente numa aventura que possa prejudicar mais ainda. Claro que a esperança de jogarmos existe, mas precisamos que os sócios e conselheiros do clube tomem consciência para alçar voo. Hoje, não teríamos condições (de jogar a Terceirona), não temos um estádio (liberado). Então, temos que por os pés no chão. A esperança é que haja uma conscientização das pessoas que querem o futebol", declarou o presidente.


Paralelo ao andamento das obras, o time de Santa Maria retomou o futebol. O time sub-19 treina no estádio dos Eucaliptos visando o ano que vem. Até o dia 15 de dezembro, a comissão técnica e os jogadores seguirão em atividade. Neste final de semana, o time venceu uma equipe amadora de Júlio de Castilhos por 2 a 1 com comando do técnico Leonardo Ribeiro. O próximo amistoso será em Tupanciretã no final de semana que vem.


Foto: Tiago Nunes/Peleia FC