Sindicato dos árbitros emite nota após presidente do JU falar que árbitro foi mal intencionado

A derrota do Juventude por 3 a 0 para o Grêmio, na Arena, em Porto Alegre, terminou com declarações fortes pelo lado do time da serra gaúcha. O jogo foi válido pela abertura da Taça Francisco Novelletto, segundo turno do Campeonato Gaúcho.


Durante entrevista coletiva, após os 90 minutos, o presidente do Juventude, Walter Dal Zotto Jr, soltou o verbo contra o árbitro Anderson Daronco, que marcou três pênaltis para o Grêmio. O time do Alfredo Jaconi também reclamou do primeiro gol do Grêmio, quando houve uma reunião entre a auxiliar e o árbitro para ver se houve impedimento na jogada, mas o gol foi validado.


"Infelizmente, quando foi dado o nome do Daronco nós questionamos a Federação e nos foi dito que ele era o melhor árbitro gaúcho. Bom, se ele é o melhor árbitro, então é mal intencionado. No primeiro gol, o Diego participa da jogada e a decisão é dele. No pênalti, o encostão no braço e ele deu. No segundo tempo, ele fez vistas grossas para um pênalti no Bruno. A derrota não passa por ele (árbitro), o Juventude não fez uma atuação dentro do que esperávamos. Mas o resultado passa por ele", disparou o dirigente do Juventude.


NOTA DO SINDICATO


O Sindicato dos árbitros de futebol do Rio Grande do Sul se manifestou através de nota oficial. O documento é assinado pelo presidente Maicon Zuge. A entidade repudiou as declarações do presidente do Juventude. Zuge afirma que as falas do mandatário foram levianas e difamatórias. A nota cita ainda, que o o campeão do primeiro turno do Gauchão é um clube do interior, o Caxias, negando que haja um complô contra o interior.


CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA


O SINDICATO DOS ÁRBITROS DE FUTEBOL DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL – SAFERGS vem a público repudiar as palavras proferidas nas emissoras de rádio, televisão e mídia em geral pelo Sr. Walter Dal Zotto Junior, presidente do E.C. Juventude, em face da atuação do árbitro associado ao Safergs e integrante do seleto quadro da FIFA, Anderson Daronco, em partida disputada neste sábado (29) pelo Campeonato Gaúcho 2020, Taça Francisco Noveletto Neto, entre Grêmio e Juventude.


Após o jogo, Anderson Daronco foi levianamente tachado, entre outras adjetivações, de “mal-intencionado” por suas decisões tomadas no jogo, bem como em partidas anteriores que dirigiu, pois segundo o Sr. Dal Zotto, “Ou é perseguição ou ele (Daronco) é mal intencionado”.


O dirigente do Juventude ainda complementou afirmando que “existe um complô com contra o Interior”. As acusações levianas e difamatórias não podem prosperar, pois o último clube a ser campeão no RS foi a SER Caxias (clube do Interior).


Tal atitude trata-se obviamente de uma manobra surrada, na qual dirigentes e/ou atletas buscam com tais manifestações transferir a responsabilidade por eventual ineficiência técnica ou derrota à arbitragem.


Como se não bastassem as palavras levianas do presidente ao final do jogo contra o árbitro Anderson Daronco, o jogador Marcelo Carné, do Juventude, antes de sair do gramado ofendeu publicamente o árbitro com as seguintes palavras: “Tenta se impor porque é malhado, forte, mas se encontrar ele na rua, se afina. É uma palhaçada.” A declaração foi dada ao ser entrevistado pelo repórter da RBS TV e SporTV Victor La Regina.


O Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado do Rio Grande do Sul despreza e repudia veementemente tais manifestações, posto que atletas e dirigentes se utilizam de tais manobras com o nítido objetivo de transferir a responsabilidade pela incapacidade e insucesso demonstrado na competição.


Importante destacar que nos orgulhamos desta honrosa função que desempenhamos, a qual fazemos com total isenção e imparcialidade! Este Sindicato é formado por pais e mães de família, que deixam seus lares para contribuir com o desporto, e, em hipótese alguma, irá admitir ser ofendido em nossa honra por ninguém, seja por qualquer atleta, membro de comissão técnica ou dirigente que queira justificar o fracasso, o insucesso e a incapacidade de sua equipe colocando em dúvida o caráter e a lisura de nossos associados, que entram em campo com o único objetivo de aplicar as regras do jogo a este esporte que tantas emoções suscitam em todos os brasileiros.


O Safergs, através de sua Diretoria e de seus associados, esclarece que respeita o trabalho sério desenvolvido pelos atletas, membros de comissão técnica e dirigentes que atuam no futebol, todavia não admite que a integridade moral de seus sindicalizados, como no caso em questão, seja vulnerada, assim como não admite que o caráter, a honra e a imparcialidade de seus membros sejam caluniados e difamados de forma leviana por atleta e/ou dirigente despreparados que procuram colocar em terceiros a culpa por sua incompetência e insucesso.


Maicon Soes Zuge

Presidente do Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado do RS


Foto: Lucas Figueiredo/CBF/Divulgação