Técnico do Farroupilha é vítima de racismo; Ofensas teriam partido de mãe de atleta adversário


O Farroupilha, de Pelotas, emitiu uma nota oficial na noite de domingo com um caso grave de injúria racial. Durante um jogo do time Sub-20, realizado na tarde de domingo, no Estádio Nicolau Fico, o treinador do Fantasma, Marchel Brum, foi vítima de ofensas com cunho racista praticados pela mãe de um atleta adversário.


"O Grêmio Atlético Farroupilha vem por meio deste repudiar os fatos ocorridos no dia de hoje no Nicolau Fico, em que o treinador da equipe sub-20, Marchel Brum Rollo foi alvo de injúria racial praticado pela mãe de um atleta adversário em que a autora de tal ato proferiu as seguintes palavras direcionadas ao treinador, 'nego sujo, nego chinelo e nego macaco'", declarou o clube em nota.


Conforme o boletim de ocorrência lavrado na noite de domingo na Polícia Civil de Pelotas, o treinador apresentou queixa contra a suspeita e deseja abrir representação criminalmente contra a pessoa.


"Em nome da diretoria do Grêmio Atlético Farroupilha, informamos que a acusação será levada por diante e que a suspeita de proferir tais palavras deve responder e arcar com as consequências de seus atos. Prestamos nossa solidariedade ao treinador e daremos a ele todo o suporte necessário", diz o clube.


Segundo o relato da ocorrência policial, o atleta teria sido desligado do clube e estava jogando na equipe adversária. Foi quando a mãe do atleta começou a proferir as ofensas da arquibancada durante um torneio intermunicipal da categoria. Dois integrantes do Farroupilha teriam ouvido as falas da mulher e são citados como testemunhas na ocorrência.


Foto: Divulgação