Técnico Xavante explica postura mais defensiva: "Não vamos virar o Bayern de uma hora para outra"

O torcedor Xavante vai ter que dar um voto de confiança ao técnico Hemerson Maria. Desde o começo da Série B do Brasileirão, o Brasil de Pelotas emplacou três empates, mas esteve perto de vencer.


O principal questionamento dos torcedores é quanto a postura defensiva da equipe no começo da competição, em especial, nas últimas duas rodadas, ambas no Bento Freitas. Contra a Ponte Preta, o time começou recuado e viu a equipe paulista tomar conta do jogo e sair na frente do placar. Contudo, após o gol, o Xavante tomou as ações do jogo e poderia até ter vencido. Já contra o Oeste, o time começou bem, mas após fazer o gol voltou a se defender e viu o empate nos acréscimos, de pênalti. Após o jogo, o técnico explicou o motivo da postura mais defensiva no começo do Brasileirão.


"Eu não tinha intensão de terminar com a linha de 5 e com mais 4 volantes. Se buscar meu histórico eu sou um treinador que gosta de ter a bola, de agredir o adversário, marcar alto, mas o material humano que eu tenho, ele me oferece jogadores aguerridos de boa marcação e a criatividade vou trabalhando pouco mais. É passo a passo", comentou o técnico Xavante.


Maria contou estar trabalhando com a comissão técnica desde o dia 5 de julho sem parar e frisou que a equipe está em evolução.


"Estou sem ver a minha família para fazer que o Brasil cresça. Não vamos virar o Bayern de Munique de uma hora para outra propondo jogo, com transição, velocidade. Eu vi evolução na equipe", disse Hemerson Maria.

O treinador admitiu que a equipe precisa melhorar a posse de bola, ter mais controle nos 90 minutos e ser mais agressiva. Entretanto depende de material humano para propor esse estilo de jogo.


"Hoje, o nosso plantel está se reformulando e eu não tenho jogadores com característica mais ofensiva, de velocidade, e os jogadores que estão no grupo estão trabalhando para melhorar, principalmente os que ficaram fora hoje. No banco eu só tinha o menino Luis Henrique. O Jarro teve um problema de lesão. Estamos trabalhando para recuperar quanto o Natan quanto o Wesley. As alternativas que eu tinha eram jogadores de volante e lateral" pontuou


Ele contou que se tivesse jogadores com características mais ofensivas, certamente seriam esses atletas que entrariam contra o Oeste no sábado.


"Hoje estamos três resultados de empates e a equipe do jogo do Cuiabá para cá ela teve um poderio de criação melhor. Eu como treinador não tenho 20 dias consecutivos de treinamento. São jogos desgastantes na Série B e hoje o nosso elenco é muito determinado e batalhador, mas estamos qualificando. O presidente já falou estamos qualificando com recursos escassos", disse o técnico em entrevista coletiva.