"Venha ver seu povo": Profissional do futebol gaúcho escreve Carta Aberta ao governador

A fala do governador quanto ao futebol não caiu bem. Eduardo Leite declarou que o retorno do "futebol, no momento, não é prioridade". A declaração foi criticada pelos profissionais que dependem da atividade para sobreviver no Rio Grande do Sul.


Entre diversos comentários, um profissional se manifestou através de uma carta aberta ao chefe do executivo do estado. O gerente de futebol, Renan Mobarack, lamentou a frase dada em live no facebook. Ele contou que a carta é apenas a sua opinião e não fala em nome de clube, entidade ou grupo.


"Porque o senhor trata nosso segmento com pouca relevância ou até mesmo importância, ao afirmar que o retorno do futebol 'não é prioridade'...como assim não é prioridade? E as milhares de famílias que dependem deste segmento laboral, para prover seu sustento? Temos situações que duas ou mais famílias dependerem de alguém que trabalhe no futebol, são muitas pessoas, para não se dar relevância", diz a nota assinada pelo profissional da bola.


Ainda conforme Mobarack, falta sensibilidade ao governado ao não entender que tantos profissionais dependem do seu trabalho. Ele reforça que não são apenas jogadores e treinadores. São pessoas anônimas que muitas vezes não aparecem aos olhos dos torcedores.


"Lamento muito, ouvir suas colocações e falta de sensibilidade, ao não entender, que somos profissionais, tanto como outros, em diversas funções, e não apenas pessoas que disputam um jogo ou praticam um esporte...somos profissionais, cumprimos jornadas de trabalho, temos obrigações fiscais", declara o gerente.


Para a retomada dos treinos físicos, os clubes têm passado por rigorosos protocolos de segurança em saúde. Este ponto também é reforçado pelo profissional no documento.


"O controle é muito maior, com protocolos rígidos que estão sendo seguidos à risca, pois nós, mais do que o próprio governo que o senhor capitaneia, cuidamos de nossa saúde e temos profissionais responsáveis, seja na direção, nas comissões técnicas, como nos Departamentos Médicos, temos um ambiente controlado, mais que num ônibus lotado, num metrô abarrotado, em comércios etc", afirma Renan Mobarack.


Ao longo do texto, Mobarack também convida o governador a sair do Palácio Piratini, em Porto Alegre, para ver a realidade do povo.


"Te convido a sair do palácio Piratini, onde milhões de gaúchos pagam impostos para mantê-lo aí em segurança, alimentar ou pessoal, com internet ilimitada, onde fazes as 'lives' diárias e possibilitam equipamentos de informática de última geração e funcionários que ilustram e colorem os mapas semanais...venha à rua, venha ver seu povo", conta.


Confira a nota publicada na íntegra no seu facebook: