Árbitro relata em súmula mais um caso de injúria racial na Divisão de Acesso

No último final de semana, o São Gabriel venceu o Guarani de Venâncio Aires pelo placar de 2 a 0 pela Divisão de Acesso. Com mais três pontos, o time respira aliviado do perigo de rebaixamento e se aproxima do G-4. Contudo, a partida foi marcada por um caso de injúria racial.


O árbitro Solano de Oliveira relatou em súmula, que após o fim do jogo, um atleta do Guarani, Lucas da Silva, foi vítima de insultos de cunho racistas enquanto se dirigia para o vestiário. O próprio atleta acionou a arbitragem após o ocorrido.


Ele afirma ter sido chamado de "macaco". O árbitro não conseguiu ouvir as ofensas. Um boletim de ocorrência foi registrado na polícia. Perguntado pelo árbitro se poderia identificar o torcedor, o atleta afirmou que não estava mais lá.


"Após a confusão ter acabado e no momento em que o atleta Lucas Matheus da Silva Nascimento da estava entrando no vestiário o mesmo se dirigiu até a equipe de arbitragem alegando ter sido chamado de macaco por torcedores da equipe do E. C São Gabriel, de imediato foi perguntado ao atleta se era possível identificar os autores das supostas ofensas e o mesmo respondeu (eles não se encontram mais no local). Informo que não foi possível escutar os supostas ofensas recebida pelo atleta, devido ao som ambiente do estádio e a um numero elevado de torcedores e pessoas dentro do campo de jogo. O atleta registrou boletim de ocorrência numero 2533, conforme foto em anexo da tela do celular do Policial Militar que registrou a ocorrência", diz a súmula do jogo.


Após uma longa conversa dentro de campo com a arbitragem e o policiamento que estava presente no jogo, o atleta deixa o gramado com o punho fechado e a mão para o alto, um gesto de resistência, antirracista. A imagem foi transmitida ao vivo pela FGF TV.


Nas redes sociais, o São Gabriel não se manifestou sobre o ocorrido, da mesma forma o Guarani de Venâncio Aires.


Imagem: FGF TV/Reprodução