Os 20 dirigentes do clubes da Série C do Campeonato Brasileiro emitiram uma nota. No documento, eles são favoráveis ao começo da competição no mês de agosto, junto com as Séries A e B. Os clubes pedem ainda uma nova ajuda financeira para enfrentar as dificuldades devido a pandemia do novo coronavírus. Dois gaúchos assinam também o documento: Ypiranga e São José.


CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA


Diante da situação de incerteza vivenciada pelos clubes que disputam o Campeonato Brasileiro da Série C, representantes dos 20 times, em comum acordo, se reuniram e elaboraram um protocolo encaminhado junto à CBF, comunicando que todos são favoráveis ao retorno da competição na mesma data prevista para os clubes das Séries A e B.


Reforçando que nossa principal preocupação é a saúde dos atletas, nos comprometemos a seguir com responsabilidade os protocolos de higienização, bem como cumpriremos as exigências estabelecidas pela CBF para a rotina de treinos e jogos.


Comunicamos também a solicitação de uma nova ajuda financeira, tendo em vista as adversidades enfrentadas pelos gestores para o pagamento dos salários dos atletas, funcionários e colaboradores, nos meses de junho e julho.


O pedido se embasa no entendimento da própria CBF, ciente das dificuldades de honrarmos os contratos e compromissos, já que tivemos grande perda de receita (patrocínios, sócios, etc).


Sabendo que podemos contar com mais esse apoio, aguardamos o retorno da CBF sobre o documento encaminhado.




A frase do governador de que o futebol não é prioridade não caiu bem no meio dos profissionais que dependem da atividade para sobreviver. São mais de 3 mil trabalhadores envolvidos nas três divisões no Rio Grande do Sul. Jogadores, técnicos, profissionais das comissões e demais cargos que dão suporte dentro e fora de campo as equipes. Para eles, a atividade é essencial.


Em nova live na quarta-feira, Eduardo Leite mudou o tom e pediu paciência. Ele enfatizou que não é favorável à volta dos treinos coletivos no estado.


"Não entendemos que haja condição de treinos coletivos seguros para este momento. Todos nós estamos abalados com as medidas restritivas e estamos todos enfrentando todos a mesma tempestade. Temos uma série de desafios. Pedimos paciência por algumas semanas", disse durante a transmissão ao vivo na página do Facebook do Governo do Estado.


O chefe do executivo gaúcho também afirmou que não pretende fazer mudanças nos protocolos para autorização nos treinos coletivos. Para ele, os treinos físicos não oferecem riscos, no momento.


"Não pretendemos fazer alterações nos protocolos nesta altura do campeonato em algo que naturalmente tem contato entre as pessoas. É da natureza da atividade. Permitimos que os clubes pudessem ter treinamento individual, o que não oferece riscos, desde que cumprindo uma série de protocolos sanitários. Mas um treino coletivo, um esporte que estabelece contato entre as pessoas, evidentemente, compromete a segurança do ponto de vista sanitário dos seus colaboradores e jogadores", afirmou.


Fotos: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini

O São Luiz iniciou o mês de julho com a presença de mais dois atletas. O meia Jean Carlo e o lateral-esquerdo Gabriel Araújo se apresentaram nesta quarta-feira. Os dois atletas realizaram testes para a Covid-19 no laboratório da Unijuí, sendo que ambos resultaram em negativo.


De acordo com o fisioterapeuta do São Luiz, Tiago Ávila, e todo Departamento, o resultado negativo para a Covid-19 permite que os jogadores treinem a partir de quinta-feira, 02/07, junto ao restante do elenco, seguindo o protocolo da CBF e das autoridades sanitárias.


Já na sexta-feira, o restante da equipe juntamente com a comissão técnica realizará os testes sanguíneos rápidos que marcam o IGM e o IGG - células de resistência. Estes testes mostram se a pessoa já tem resistência ao coronavírus, ou seja, se teve a doença mas não tem mais, assim como se a pessoa está infectada no momento.