Árbitros e auxiliares finalizam período de preparação para a temporada 2022

O quadro de árbitros e auxiliares de futebol do Rio Grande do Sul encerrou nesta quinta-feira (20) o período de preparação para a temporada de 2022. As atividades realizadas ao longo das duas últimas semanas foram organizadas pela Comissão Estadual de Árbitros Gaúchos – CEAF/RS e pelo Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado do Rio Grande do Sul – Safergs.


De 14 a 16 de janeiro, aconteceu a pré-temporada em Flores da Cunha, na Serra Gaúcha. O presidente da Federação Gaúcha de Futebol – FGF, Luciano Hocsman, realizou a abertura oficial do encontro. Também estiveram presentes o secretário-geral da FGF, Mauro Rocha, e o controller da FGF, Marcelo Ducati.


Os árbitros e auxiliares participaram de trabalhos em sala de aula e no campo, para reforçar situações de jogo, como tomadas de decisões, situações de eventual penalidade, bola na mão e mão na bola, impedimento, controle de jogo, resolução de conflitos, entre outras. Todos ficaram concentrados durante o período, respeitando os protocolos de combate à Covid-19, como uso de máscara, álcool em gel e distanciamento.


Nesta semana, ocorreram, durante os dias 18, 19 e 20, testes físicos e teóricos em Porto Alegre. Os exercícios físicos seguiram o padrão da Confederação Brasileira de Futebol - CBF, com 40 tiros de 75 metros, realizados no Centro Estadual de Treinamento Esportivo - CETE. As avaliações teóricas aconteceram na sede da FGF, com 20 questões e média nota sete.


- Os testes físicos são de suma importância, os árbitros correm cerca de 12 quilômetros por partida. Aliado às tomadas de decisões, o preparo físico deve estar em dia. Também serve para mostrar quem está apto a apitar as competições da FGF. Já a prova teórica serve para mostrar os conhecimentos das regras e interpretações do jogo – explicou o presidente da CEAF/RS, Luiz Fernando Moreira.


- Mostra a qualificação da arbitragem gaúcha, como está a aptidão física e o conhecimento teórico deles. Também é importante para manter a padronização. De modo geral, o aproveitamento é positivo – avaliou o presidente da Safergs, Maicon Zuge.


Em caso de não aprovação, será possível refazer a avaliação no prazo de 30 dias. Se o árbitro ou o auxiliar não passar mais uma vez no teste físico, não participará de sorteios durante o primeiro semestre. Nova reprovação no teste teórico faz com que o árbitro ou o auxiliar não participe de sorteios durante a temporada, além de rebaixamento de categoria.


Foto: Fernando Matelli/FGF

Texto por Angelo Pieretti e Lucas Rizzatti