Acesso era utopia: Técnico Xavante desabafa sobre a realidade do clube

Após o empate em 1 a 1 com o CSA fora de casa, o técnico do Brasil de Pelotas, Cláudio Tencatti deu uma entrevista em tom de desabafo. O Xavante conseguiu pelo sexto ano se manter na Série B, mesmo com diversos problemas financeiros. O clube também vem nesses últimos anos fazendo um grande esforço de terminar a remodelação do estádio Bento Freitas.


Questionado na coletiva se ficava alguma frustação por não brigar pelo acesso a Série A do Campeonato Brasileiro, o treinador foi enfático. Ele elencou diversos problemas que o clube enfrentou no campeonato, em comparação com quem está na disputa pelo acesso.


"A diferença da frustração é o salários em dia, premiação que o brasil não pode dar pq não tem dinheiro e as outras equipes estão dando mil reais por ponto em bicho na reta final, salários todos em dia e elencos recheados. Temos que acordar e cair na realidade. Fizemos muito pelas consequências que tivemos na competição: elenco pequeno, jogadores que saíram, jogadores que se lesionaram, jogadores com covid e o time foi guerreiro demais, nunca reclamamos de salários atrasados. Continuamos honrando a camisa do Xavante. Eu não tenho frustração nenhuma. Quem quer subir a coisa é diferente. Então era utopia. Tem que entender o processo do Brasil. Eu não culpo o Brasil. A diretoria e a torcida é guerreira. O Brasil para chegar a este ponto, este objetivo (de subir) vai ter que trabalhar bastante", comentou o treinador após o jogo.


Faltando uma rodada para terminar a Série B do Brasileirão, o Brasil está a 9 pontos do G4, mas a diferença chegou a ser menor, fato este que gerou uma expectativa na torcida. Contudo, foram vários problemas enfrentados pelo clube, principalmente financeiro, como reforçou o treinador. O Xavante encerra a Série B, na sexta-feira, às 21h30, contra o Vitória, em Pelotas.