Após 20 anos, Juventude e Botafogo se reencontram pela Copa do Brasil

Há 20 anos, o Maracanã foi tomado por uma massa preta e branca. A final da Copa do Brasil levou mais de 100 mil pessoas para acompanhar o jogo entre Botafogo e Juventude, que terminou com título dos gaúchos. Duas décadas depois, os times se reencontram pela competição. Nesta quinta-feira, o palco é diferente. A bola rola às 21h30 no Nilton Santos, no Rio de Janeiro, no jogo de ida da terceira fase da Copa do Brasil 2019.


A final de 1999 é, até hoje, o maior público da história da Copa do Brasil. Um dos principais jogadores do Botafogo no ano, Erik tinha apenas cinco anos de idade quando o Alvinegro perdeu para o Juventude na final. Ainda assim, o artilheiro da Estrela Solitária sente um sabor diferente neste duelo. A chance de vingar a torcida Alvinegra mexe com os ânimos do atacante. 


– Não é só uma motivação especial, porque todos os jogos nesse clube são e serão especiais para mim. Mas esse jogo contra o Juventude tem um gostinho diferente, por ser um reencontro. E espero que o Botafogo consiga seu objetivo que é a classificação – destacou o atacante.


Mas o gosto de reencontro não está somente no paladar de Erik nesta noite. Com passagem pelo Botafogo, o ex-meia Fahel hoje é auxiliar técnico do time gaúcho. Em entrevista ao Lance!, Fahel projetou o confronto com o seu antigo clube.


– É um clube pelo qual tenho um carinho enorme, onde passei uma fase muito boa da minha vida, onde fui campeão e pude fazer grandes amigos. Hoje, defendendo o Juventude em uma nova função, vou fazer o melhor para que possamos sair com a vitória – disse.


Foto: Divulgação/Site oficial do Juventude