Bagé identifica torcedores que agrediram trio de arbitragem

A partida entre Bagé e São Paulo, pela segunda rodada da Divisão de Acesso, terminou na delegacia, mas não por algum incidente durante os 90 minutos. Com bola rolando, o time de Rio Grande venceu por 3 a 1.O árbitro Eduardo Fernandes Bastos, da cidade de Pelotas, colocou em súmula uma situação envolvendo torcedores do Bagé.


Conforme Bastos, por volta das 18h45, após o jogo, o grupo escalado para o jogo estava prestes a deixar o estádio quando foram informados que a Brigada Milita já havia deixado o local, pois tinha terminado o turno da equipe escalada para dar segurança ao jogo.


"Nesse momento, o diretor Darlan Berneira do G.E. Bagé, disse que iria até o carro conosco, que estava nos arredores do estádio Pedra Moura, quando chegamos no carro cerca de 20 torcedores identificados com a camisa do Bagé, foram em direção ao carro, e começaram a gritar nos xingando e nos ofendendo", declarou em súmula o árbitro.


Segundo o documento oficial da partida, os profissionais do apito tentaram entrar no carro e os torcedores começaram a cuspir e jogar cerveja. Logo na sequência começaram as agressões.


"Nesse momento os torcedores começaram a chutar o carro, me agrediram com um chute nas costas, acertaram um soco de raspão no assistente Rodrigo Tedesco e jogaram um copo plástico com cerveja no assistente André Peil, quando entramos no carro os torcedores chutaram mais varias vezes o carro, amassando as 2 portas traseiras do carro, a porta dianteira direita, o para-choque traseiro e o paralama traseiro direito", detalhou Bastos.


NOTA DO BAGÉ


A direção do Bagé divulgou nesta semana uma nota de repúdio as agressões ao árbitro. O clube afirmou ter sido surpreendido com ataques de torcedores ao trio de arbitragem. No documento, o Bagé confirmou que os torcedores já foram identificados.


"Atos estes que causaram(ão) diversos prejuízos à Instituição, colocando em grave risco até integridade física de pessoas. O Grêmio Esportivo Bagé repudia a violência, a qual muito embora tenha ocorrido fora das dependências do Estádio da Pedra Moura, prejudica a imagem dessa Instituição Centenária. Os torcedores, se assim podemos chamá-los, que cometeram atos de tamanha bárbarie já foram identificados e, sequer, presenciaram a partida realizada", declara o clube.


As imagens de câmeras de segurança já estão sob o domínio do clube. O Bagé anunciou a exclusão dos torcedores do quadro social e, aqueles que não fazem parte serão proibidos de acessarem as dependências do estádio, por tempo indeterminado.


"As autoridades de segurança pública, em todas as esferas, foram imediatamente acionadas, inclusive com a realização de registro de boletim de ocorrência por nossa parte, nominando cada um dos envolvidos, já iniciando, assim, as investigações para a punição dos responsáveis pelos ilícitos cometidos, tanto na área desportiva, cível e criminal. Recusamos a ideia de que os autores destes atos criminosos sejam realmente torcedores do Clube", afirma a nota.


Arte: Divulgação/Bagé