"Caráter e índole não é virtude, é obrigação", desabafa zagueiro sobre pedidos para entregar jogo


Os dias que antecederam a rodada decisiva do Campeonato Gaúcho foram de um misto de vozes na torcida do Caxias. Enquanto alguns não ligavam para a situação do rival, outros "pediam" que o time perdesse o seu compromisso devido à possibilidade de rebaixar o Juventude.


Com a bola rolando, se viu um Caxias fazendo o papel de honrar a sua história, pois brigava pelo G-4 e vaga na Série D do Brasileirão de 2023. A equipe venceu por 3 a 0 o União Frederiquense na cinzenta tarde de sábado.


Longe da Serra Gaúcha, o Juventude perdia para o Brasil de Pelotas por 1 a 0. Se o União vencesse o duelo no Estádio Centenário, o maior rival do Caxias estaria rebaixado para Divisão de Acesso, um vexame histórico.


Nas arquibancadas da casa grená, o pedido ganhou mais vozes. Contudo, após o jogo, a voz de um profissional ecoou nas redes sociais. Há cinco anos vestindo a camiseta do clube, o atleta Thiago Sales comentou sobre as "vozes" que pediam para o time entregar o jogo para prejudicar rival.


"Sei que a rivalidade existe, faz parte do futebol e a emoção é maior do que a razão!! Primeiro gostaria de falar que caráter e índole não é virtude, é obrigação do ser humano!! Segundo gostaria de fazer um relato sobre o lado profissional, se entregássemos o jogo, entrássemos para perder, nosso maior rival cairia, certa parte da torcida ficaria feliz e estava tudo certo!! Mas agora pensem na gente, qual clube iria confiar em jogadores que entram pra perder, que não são profissionais e deixam de lado os objetivos que tem no campeonato ainda como tentar classificar pra semifinal e garantir calendário pro ano seguinte, no mínimo temos que entregar o clube como pegamos", declarou o atleta em seu Instagram.


O jogador ainda fez uma reflexão que vai além das quatro linhas. Em um país onde se pede menos corrupção e mais compromisso social, Sales falou como pai. Os valores da vida não podem perder para a passionalidade.


"Eu particularmente tenho uma filha de 2 anos, além de prejudicar a criação dela já que estaria desempregado, ressalto o mais importante, q valores iria ensinar pra minha filha? Como disse antes, futebol é emoção, sei q posso receber uma enxurrada de criticas pois a torcida preza mais pela emoção do que pela razão. Agora eu proponho um exercício, principalmente pra quem tem família e filhos. Olhe ai pra eles e pensem que eles dependem de vocês. Vocês fariam alguma coisa pra prejudicar o futuro deles?", questionou o atleta.


Acostumado a enfrentar os atacantes, o defensor bateu de frente com a paixão cega vinda das redes, na qual a razão perde espaço para emoção. Ele também reforçou que o grande objetivo grená é subir para a Série C do Brasileirão.


"Espero que consigam fazer essa reflexão, deixar um pouco de lado a emoção e pensar com a razão!! A serie D é o grande objetivo do clube e vamos fazer o máximo para conseguir esse acesso!! Tenho certeza que vocês estarão do nosso lado nos apoiando porque como eu disse e todos nos sabemos, futebol é emoção!! Obrigado a todas mensagens de apoio que recebi dos torcedores!! Isso só nos da mais certeza que a razão sempre será maior do que a emoção!!", finalizou o profissional da bola.


Nas redes, diversos outros atletas do atual elenco do Caxias compartilharam a postagem nas redes sociais, aumentando o coro por um futebol que tem como essência a alegria, e não o ódio.


Foto: Vitor Soccol/Divulgação/Caxias/Arquivo