Confusão na semifinal da Série A2 termina em multa no TJD

Atualizado: há 4 dias

O jogo entre Lajeadense e Esportivo, pela semifinal da Divisão de Acesso, teve vários fatos graves relatados em súmula. O árbitro Douglas da Silva citou o arremesso de três objetos em campo e mais uma confusão na arquibancada.


O Lajeadense foi denunciado duas vezes no artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que fala em deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir: lançamento de objetos no campo ou local da disputa do evento desportivo. No Tribunal de Justiça Desportiva, o clube acabou multado em R$ 500 reais por infração, totalizando R$ 1.000,00 pela briga de torcedores. Quanto aos arremessos no gramado, o clube foi absolvido.


O Esportivo também foi denunciado no mesmo artigo pela confusão no setor de torcida visitante e foi multado em R$ 300. O julgamento foi realizado no dia 3 de agosto.



RELATOS DA SÚMULA


O primeiro fato ocorreu aos 27 minutos logo após o gol do Lajeadense. Uma bobina de papel atingiu a cabeça do bandeirinha, paralisando o jogo por 10 minutos. Aos 5 minutos do segundo tempo, o árbitro citou uma "invasão" de um drone no campo de jogo. No segundo tempo, aos 28 minutos mais um tênis foi jogado no gramado.


Após o jogo mais confusão. A primeira delas na arquibancada. Enquanto a torcida do Esportivo comemorava o acesso com o time, fogos de artificio estouraram no espaço do visitante. Na sequência, alguns torcedores do Tivo se dirigem contra a organizada do Lajeadense. A Brigada Militar precisou intervir com bombas de efeito moral.

Por fim, na saída de campo, a arbitragem foi surpreendida com um arremesso de um pedaço de madeira em sua direção. Segundo o auxiliar José Eduardo Calza, o objeto foi retirado de sua mão pelo médico da equipe mandante.


Imagem: Reprodução/FGF TV