Diego Torres busca o sexto acesso na carreira

O meia Diego Torres pode ser chamado de andarilho do futebol. Com experiência adquirida em quase duas décadas como jogador, aos 35 anos vive a chance de conquistar o sexto acesso na carreira. Natural de Porto Alegre, o atleta participou de 13 dos 15 jogos do Guarany de Bagé na Série A2 2021, como um décimo segundo jogador, visto que apenas em quatro iniciou como titular. No entanto, a contribuição, tanto dentro, quanto fora de campo, faz do alvirrubro um candidato à vaga na elite do Gauchão 2022.


“A gente veio para Bagé com o intuito de recolocar a cidade na primeira divisão do Estado novamente. Sou muito feliz por jogar futebol, devo tudo o que tenho aos meus pais que sempre incentivaram e este esporte que me proporcionou conhecer bastante a vida em si. Eu costumo falar aos companheiros, sendo um dos mais experientes, que sem o coletivo, não adiantam individualidades. É um processo de equilíbrio. Já fui titular, já fui destaque, mas sempre soube que eu só aparecia mais, talvez, porque havia toda uma engrenagem por trás. Hoje vivo uma situação nova, porque nos outros acessos sempre fui titular nas equipes, mas estou à disposição seja para jogar um minuto ou os noventa. Também se não entrar na partida, sigo incentivando e apoiando o time. Posso falar com toda humildade que minha maturidade me permite ver o que é melhor para todos, não apenas para mim. Queremos este acesso e será uma honra recolocar o Guarany na elite gaúcha”, afirmou Diego Torres.


No Rio Grande do Sul, o profissional atingiu o acesso com Esportivo e Cruzeiro. Em Santa Catarina, levou o Carlos Renaux (bicampeão catarinense na década de 50) da Série C para a Série B estadual. No Norte do Brasil, recentemente, em projeto novo, ascendeu com o Amazonas FC, da segunda para a primeira divisão do Estado. E, talvez em seu melhor momento da carreira, após destaque pelo Caxias, defendeu as cores do Sport e obteve conquista nacional, subindo da Série B para a Série A, em 2011. Se vencer o Avenida, o Guarany, de Diego Torres, sobe de divisão.


“Quando eu olho para trás, vejo uma história escrita, mas sei que posso ir além ainda. Claro que eu já vislumbro o futuro, tenho os pés no chão, estudando para quando parar. Ainda nesta semana e na passada recebi convite para voltar ao Norte do país, uma ligação aqui do Sul, quero seguir jogando, embora até domingo o meu foco e de todos no Guarany seja o acesso. Temos um duelo importantíssimo e difícil, contra uma equipe também de tradição no RS, então é concentrar e lutar até o fim, com o apoio do nosso torcedor. Depois a gente senta e conversa as possibilidades que virão. É semifinal, sabemos, mas encarando como final, justamente porque vale o objetivo maior”, finalizou.


Foto: Gabriel Xavier/Divulgação