Diretor médico da FGF fala sobre a possibilidade de testes para COVID-19

O médico da Federação Gaúcha de Futebol, Ivan Pacheco, concedeu entrevista ao programa Esporte Notícia, da Rádio Bandeirantes, nesta semana. Ele frisou que a retomada das atividades no futebol deve ser cercada de cuidados, pois a pandemia de coronavírus ainda está presente. Ele também destacou que o retorno depende do aval do governador do Rio Grande do Sul. Eduardo Leite terá um encontro com presidente da FGF na terça-feira para discutir o assunto.


Pacheco mantém contato com os clubes do Campeonato Gaúcho da Série A para que todos tenham protocolos quando o futebol retornar. Ele relata que nas primeiras atividades muitas restrições serão impostas.


"Falei com médicos de clubes, e todos eles já fizeram protocolos de retornos seguros. No início, vão ter muitas limitações. Eles vão treinar em grupos separados, não vai ter academia por enquanto. Vai ser um retorno gradual", contou.


Na entrevista à Rádio Bandeirantes, de Porto Alegre, o diretor médico da FGF disse não ser contrário a retomada, mas sua função é pesar os pós e contras. O profissional da área da saúde ainda comentou sobre a possibilidade de realizar testes por amostragem nos envolvidos no Campeonato Gaúcho.


"(Fazer testagens) é uma forma segura de ver como o vírus está distribuído em uma comunidade. Temos de balancear o custo dos kits com a confiabilidade deles. Não adianta gastarmos o dinheiro e não termos um resultado bom. O teste nos clubes seria feito por amostragem, que é algo válido dentro da epidemiologia", contou.


Conforme Pacheco, mesmo com todas as medidas não será possível zerar as possibilidades de contaminação.


"Isso é impossível em viroses respiratórias. E também tem a questão de que pessoas com Covid-19 podem ficar assintomáticas por semanas", afirmou à Band.


Foto: Reprodução/SBEE/Youtube