Houve uma cobrança forte, afirma técnico do Pelotas após derrota em Ijuí

Diante da incômoda colocação na tabela do Gauchão 2020, todos dentro do Pelotas sabem da necessidade de evolução. O período sem jogos até o final deste mês será de muito trabalho por parte da comissão técnica e do grupo de jogadores.


A intenção no Lobo é retomar a boa fase no segundo turno, de preferência vencendo o Aimoré, no dia 1º de março. Nesta quinta (13), dia seguinte à reapresentação do elenco, o técnico Luiz Carlos Winck atendeu os repórteres na sala de imprensa da Boca do Lobo.


”Houve uma cobrança forte, porque não encaramos o jogo contra o São Luiz com a concentração ideal. A parte de intensidade precisa ser trabalhada, ainda vejo a equipe um pouco acomodada dentro de campo”, disse ele.


A respeito da importância das semanas sem compromissos, Winck destacou as mudanças a serem feitas.


”Daqui para a frente começa de fato meu trabalho. Quero um time mais propositivo, que pressione bastante o adversário. A única maneira de conseguir isso é trabalhando ao máximo possível”.


As seis partidas do segundo turno do Gauchão serão contra os adversários do grupo oposto, e cada detalhe é capaz de transformar resultados bons em ruins. Por isso, foco.


”É importante ter personalidade e saber se impor, sem nunca se acomodar. Quem transparecer acomodação vai perder espaço, porque cada detalhe faz diferença e na tabela um gol pode definir posições”, comentou o comandante áureo-cerúleo.


A estreia do Lobão no segundo turno do estadual, a Taça Francisco Novelletto, será contra o Aimoré. A partida está marcada para o estádio Cristo Rei, dia 1º de março, às 17h.


Foto: Tales Leal | AI ECP

Texto: Gustavo Pereira | AI ECP