Inter SM quita dívida de 120 mil em troca de patrocínio na camiseta

Após nadar contra um mar de dívidas, o Internacional de Santa Maria está chegando à beira da praia, enfrentando as últimas ondas. Neste ano de 2019, o clube ainda divide as atenções entre pagamento de débitos do passado e fazer futebol. Em entrevista ao programa Arena Esportiva, da Rádio Imembuí, de Santa Maria, o presidente do Inter SM, Luís Cláudio Mello falou sobre o momento financeiro vivido pelo clube da região central do estado.


O mandatário contou que neste ano, o clube entrou em um acordo e pagará de forma parcelada duas dívidas com valor superior a 100 mil reais. Uma é referente a um funcionário que trabalha nas dependências do estádio Presidente Vargas. A outra é referente a uma multa do Ministério Público do Trabalho (MPT). O Inter SM conseguiu negociar a dívida em troca de patrocínio na camiseta. Ao longo de todo o ano de 2020, o clube usará a logomarca de uma campanha do MPT.


"Esse ano conseguimos resolver uma das piores situações do Inter, que era o valor mais alto que conseguimos reduzir de 360 mil para 120 mil e uma outra do Ministério Público do Trabalho de 120 mil, de pessoas que estavam trabalhando no clube sem registro, conseguimos reverter em propaganda de 'Não ao Trabalho Infantil'. Vamos cumprir, já nos passaram o layout para camiseta durante todo o ano e vamos começar já com o sub-17", disse.


O presidente frisou que muitos torcedores não conseguem entender porque o clube não investe mais no futebol. Ele explicou que é devido a essas situações de pagamento de dívidas. Este também foi um dos motivos de não entrar em campo no segundo semestre na Copa Verardi, pois a direção está pagando dívidas da Divisão de Acesso e não teria como arcar com os gastos da Copinha.


Foto: Tiago Nunes/Peleia FC