Inter SM trabalha com possibilidade de redução de capacidade do estádio quando futebol voltar

A atividade econômica no Rio Grande do Sul está regida pelo sistema de bandeiras (amarela, laranja, vermelha e preta). Cada cor restringe os setores comerciais no estado. Por exemplo, os jogos só estão liberados na bandeira amarela. Na bandeira laranja, os clubes não podem fazer atividades coletivas, apenas físicas e com 25% da capacidade do espaço.


Ainda não se tem uma definição de até quando o chamado Distanciamento Controlado vai perdurar no estado. A Divisão de Acesso está prevista para agosto a sua retomada. Os clubes temem uma volta com portões fechados. Conforme alguns dirigentes, essa situação seria inviável, pois as diretorias contam com a renda dos jogos para pagamento das suas contas.


Em entrevista à Rádio Imembuí, na sexta-feira, o presidente do Inter de Santa Maria afirmou trabalhar até com a possibilidade de que os estádios tenham suas capacidades reduzidas. Jauri Daros ainda projeta que os torcedores tenham que usar máscaras para entrar nos locais dos jogos.


"A única coisa que eu acho é que dos 6 mil lugares, acho que vamos ter de reduzir para 2.500 lugares. Acho que até lá vamos ter que reduzir o número de torcedores e com máscaras dentro do estádio", opinou o dirigente.