Jogador cria clube com estrutura invejável em Carazinho e projeta jogar a Terceirona

EXCLUSIVO


O sonho é o combustível da vida. Sem um objetivo para lutar, os dias não são iguais. Seguindo exatamente essa filosofia, o jogador gaúcho Adriano Guerra Strack conseguiu realizar seu sonho. Geralmente, o atleta deseja quando criança deseja jogar em um grande clube ou atuar na Europa. Mas são raros os atletas que sonham em ter seu próprio clube de futebol.

O meia, de 26 anos, passou por alguns times. Natural de Carazinho, próximo a Passo Fundo, o jogador vestiu a camiseta do Juventude, Chapecoense e atuou fora do país na Croácia, na Sérvia e na primeira divisão da Bósnia Herzgovina, sendo goleador do time e destaque do campeonato nacional. Atualmente, Strack deu uma pausa na carreia de jogador, mas não pendurou as chuteiras. Ele contou ao site peleiafc.com que ainda pretende voltar a jogar futebol profissional, mas por enquanto o foco tem sido seu clube. Isso mesmo ! O jogador e empreendedor é dono do seu próprio time. Ele fundou na sua cidade de Carazinho um clube social e de futebol. O nome é "1992". O ineditismo já começa por este ponto. São raros os times no mundo que tem como nome um ano. A referência é a data de nascimento do próprio jogador e a inspiração veio também do solo europeu.

"Na verdade eu não parei de jogar. Fui para Bósnia e depois resolvi montar o clube. Ele é um clube sustentável para eu poder investir no futebol. Meu foco agora é a escolinha que começa na terça-feira as atividades. Já temos 14 apoiadores. O simbolo veio da inspiração em um clube da Alemanha, o 1860, que joga a segunda divisão do país", explicou o jogador.


ESTRUTURA

A estrutura investida pelo meia é de dar inveja a muita equipe que disputa, até mesmo, a Série A do Gauchão. São duas quadras de futebol society (sendo uma coberta), uma quadra de areia, uma pista de corrida, um pub, uma barbearia, um playground para crianças, uma sauna, uma piscina, uma hamburgueria e uma mega acadêmica. Somente a academia, com equipamentos de primeira linha, investimento total foi de 300 mil reais. O ambiente é moderno e inspirador. A sede do clube fica na Avenida Flores da Cunha, 3211, no centro da cidade.

"Gostaria de passar para a comunidade, que montar tudo isso não foi fácil, foram quase 6 meses de muito trabalho e muitas noites em claro trabalhando para deixar tudo pronto. Todos os domingos o 1992 vai funcionar como uma praça pública, quero reunir muitos pais e mães envolta da nossa quadra society, trazendo seu chimarrão e seus filhos para desfrutar da nossa pracinha", contou Adriano.



PROJETO É TER UM ESTÁDIO PARA 15 MIL PESSOAS


O sonho de Adriano não termina termina aí. O atleta ainda projeta construir um novo estádio na cidade de Carazinho. "Estou atrás de um terreno para construção de um estádio. Quero fazer um estádio para umas 15 mil pessoas e colocar o 92 num campeonato da Terceira Divisão para dentro de uns 5 anos estar num Gauchão. Esse é o meu sonho. Quero colocar o time o mais rápido na Terceirona. A meta é chegar a mil sócios para viabilizar", declarou o empreendedor.

Engana-se quem pensa que o jovem pretende pendurar as chuteiras para virar cartola. Adriano espera deixar o clube todo organizado para poder voltar a fazer aquilo que mais gosta, jogar futebol. Ele pretende voltar aos gramados ainda neste ano e não descarta atuar pelo seu próprio clube profissionalmente no futuro.


CAMISETA

A camiseta do "92" tem as cores preta e branca, com detalhes em dourado. As cores são as mesmas do escudo do time. O escudo também foge dos padrões tradicionais encontrados pelo Brasil.


O GOL QUE PELÉ NÃO FEZ

Você já deve ter ouvido falar de Adriano Strack, mas talvez não esteja lembrando. O atleta ficou conhecido no país inteiro com um gol marcado quando participou de um amistoso pelo Atlético de Carazinho contra o Ypiranga, de Erechim, no ano de 2016. Durante a partida, o jogador arriscou um chute do campo de defesa e acertou um golaço. O vídeo viralizou, pois foi comparado com o lance que Pelé tentou fazer na Copa de 1970, no México, em duelo contra a Tchecolosváquia. A bola de Adriano entrou. Já Pelé não teve a mesma sorte.

O atleta que ao dez ano de idade saiu de casa para jogar no Juventude tem muitas histórias dentro das quatro linhas. Agora, ele quer fazer história junto a cidade de Carazinho com o seu clube. Conforme Adriano, a ideia é dar oportunidade também aos jovens com as escolinhas. Os trabalhos para quem deseja virar jogador de futebol começa na terça-feira. As escolinhas são para crianças de 3 a até 16 anos. Para mais informações basta entrar em contato pelo telefone: (54) 98448-3560.

Adriano em atuação pela Europa

Imagem: Arquivo Pessoal