Médico da FGF não vê necessidade de suspensão dos campeonatos


Nesta segunda-feira, a Federação Gaúcha de Futebol irá definir o futuro do Campeonato Gaúcho da Série A e da Divisão de Acesso. Devido a pandemia do coronavírus, o Gauchão saiu de portões fechados e a rodada da Divisão de Acesso foi transferida neste final de semana. No começo da semana, a Federação irá buscar um novo posicionamento dos órgãos de saúde do estado para depois tomar uma decisão sobre os campeonatos em andamento.


Antes da partida entre São José e Inter, neste domingo, no estádio Francisco Novelletto, o diretor médico da FGF, Ivan Pacheco, falou com a imprensa e disse que o estado ainda não chegou no nível de outros de contaminação do COVID-19.


"A gente vai tomar uma decisão amanhã. O governador tem uma reunião com a vigilância sanitária. Vamos tomar uma decisão em comum acordo, sempre com a opinião dos especialistas. O Rio Grande do Sul não está no ponto como São Paulo e Rio. A CBF fez bem em suspender temporariamente, pois é um caso diferente. Amanhã pode ser tudo diferente. Hoje, não teria motivo técnico para suspender o Campeonato Gaúcho a não ser tirar o público do estádio", declarou o médico.


Atualmente, o médico da Federação Gaúcha não vê motivos fortes para uma medida extrema como a suspensão dos campeonatos.


"Tomamos uma decisão de tirar as torcidas. Ainda não tem motivos ou evidências epidemiológicas de parar o campeonato, mas pode mudar tudo amanhã. A previsão é que tenhamos um número muito maior de contaminados nas próximas semanas", explicou.


Pacheco ainda disse que se os campeonatos pararem os jogadores não poderiam seguir indo a locais com aglomeração de pessoas, pois tornaria sem efeito a suspensão dos torneios, já que a contaminação pode ocorrer nos treinos.


"Se vamos parar o campeonato, tecnicamente os clubes tem que parar de treinar também e os jogadores não podem ir a shopping, igrejas e lugares de grande aglomeração, pois eles não pegam no Campeonato Gaúcho, mas pegam fora. Aí pode transmitir no treino aos demais jogadores. Vamos discutir tudo amanhã na Federação", explicou.


Por fim, o dirigente da área da saúde da FGF contou que se não houver mudanças nos boletins epidemiológicos, não vê a necessidade suspensão do Gauchão e do Acesso. Contudo, frisou que sua opinião pode ser superada.


Foto: Reprodução/SBEE/Youtube