Na artilharia da Pré-Libertadores, atacante ex-dupla Gre-Nal se despede da competição

Comandado por Antônio Carlos Zago e com alguns atletas brasileiros no elenco conhecidos no nosso território como Bruno Sávio e César Martins, o Bolívar, da Bolívia, se despediu da disputa da Libertadores da América. Mas foi um brasileiro “desconhecido” no nosso território que chamou a atenção e que seguirá presente na atual edição mesmo após a eliminação. Trata-se de Francisco da Costa, centroavante de 26 anos que anotou 3 gols e é o atual artilheiro da competição. Ele ainda possui duas assistências na competição.


Da Costa saiu do Brasil aos 21 anos para jogar no México e nunca mais retornou. Após a artilharia, ele falou o que a competição mudou em sua vida, mesmo com a desclassificação.


“Foi um momento muito especial. Eu sempre tive o sonho de jogar a Libertadores e finalmente o realizei. Nesse período, pude inclusive ter um pouco mais de contato com os amigos que estão no Brasil por ser uma competição que acompanham mais e isso é muito gratificante. Foi o momento que mais me senti abraçado pelo meu país, principalmente pelo Sul, onde nasci, fui criado e comecei minha carreira. Claro que não foi o resultado que nós queríamos, mas hoje posso dizer que realizei um sonho. Não só meu como da minha família toda que está em Porto Alegre”, disse o brasileiro nascido em Taquari, interior do Rio Grande do Sul.


Considerando a Libertadores e o Campeonato Nacional que joga na Bolívia, Da Costa possui 7 gols e 5 assistências, em 8 jogos pelo novo clube. Ao todo, são 11 participações para gols em 526 minutos jogados.


Antes de jogar na Bolivia, Francisco da Costa jogou no futebol mexicano e no futebol paraguaio, onde se destacou no Sol de América, após anotar 10 gols e 5 assistências em 21 partidas. Foi considerado a sensação do futebol no país e ajudou o time a conseguir o segundo lugar na Copa do Paraguai e o terceiro posto no Clausura do Campeonato Paraguaio. Esta última colocação garantiu o time na elite do campeonato nacional, já que no Paraguai o rebaixamento é mensurado por uma soma dos últimos três anos.


Chegou no México em 2017, para jogar a terceira divisão. Ficou no país por 5 anos e, neste período, galgou e ganhou espaço chegando à primeira divisão, quando defendeu o Querétaro, clube em que seu ídolo Ronaldinho Gaúcho atuou pouco antes de se aposentar, em 2015.

No Brasil, Francisco da Costa fez categorias de base no Grêmio e Internacional, ambos do Rio Grande do Sul, estado que nasceu. Na base também passou pelo Athletico Paranaense e pelo CFZ, projeto do Zico. Profissionalmente, atuou pelo São José-RS, Novo Hamburgo-RS, Tombense- MG, Operário Ferroviário-PR e Inter de Lages-SC.


Foto: Divulgação / Bolívar